João Ferreira é o candidato do PCP às presidenciais

Casado, pai de dois filhos e muito reservado quanto à sua vida pessoal, sucede a nomes como Jerónimo de Sousa, Carlos Carvalhas ou Otávio Pato.

O atual eurodeputado e vereador da Câmara Municipal de Lisboa é o nome escolhido pelo PCP para a corrida a Belém, nas eleições que se realizam em janeiro e às quais já se apresentaram como candidatas a socialista Ana Gomes e a bloquista Marisa Matias.

João Ferreira, 41 anos, biólogo, é membro do Comité Central e um dos dirigentes comunistas mais apontados para suceder a Jerónimo de Sousa como secretário-geral do PCP.

Casado, pai de dois filhos e muito reservado quanto à sua vida pessoal, sucede a nomes como Jerónimo de Sousa, Carlos Carvalhas ou Otávio Pato, três dos nove candidatos próprios que o PCP sempre apresentou às presidenciais, desde 1976.

Na conferência de imprensa de anúncio do candidato do PCP, o secretário-geral do partido deixou clara que esta é uma candidatura para ir até ao fim, lançou críticas ao atual presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e apelou ao apoio "de todos os democratas e patriotas" que defendem "o projeto libertador e emancipador de Abril", que com o seu apoio "assumam uma posição de compromisso com a Constituição da República Portuguesa e com um Portugal com futuro".

Afirmando que as próximas eleições presidenciais se revestem da maior importância, pela ameaça que considera existir à democracia portuguesa, destacou a escolha de alguém como João Ferreira, "comprometido, nas palavras e nos atos, com a lei fundamental do país".

"Num país que se tornou mais dependente, mais injusto, mais desigual e menos democrático", exige-se "uma intervenção que tem faltado, firme, determinada, corajosa, de quem exerça as funções de presidente da República", disse o secretário-geral do PCP, numa clara crítica a Marcelo Rebelo de Sousa, que acusou de estar empenhado num "processo de rearrumação de forças políticas posto em causa para branquear o PSD, as políticas de direita e as suas responsabilidades", com a intenção de dar ao PS as "condições para a política de bloco central assumida forma ou informalmente".

Apresentado por Jerónimo de Sousa como um candidato que valorizará o órgão presidência da República, "pela sua integridade, seriedade e dedicação à causa pública, patente na sua ação como dirigente associativo universitário, presidente da Associação de Bolseiros de Investigação Científica" ou mais recentemente "como eurodeputado e vereador da Câmara Municipal de Lisboa", João Ferreira tem pela frente uma campanha eleitoral que se adivinha dura.

O deputado André Ventura (Chega), o advogado e fundador da Iniciativa Liberal Tiago Mayan Gonçalves, o líder do Partido Democrático Republicano (PDR), Bruno Fialho, Vitorino Silva (mais conhecido por Tino de Rans) e o ex-militante do CDS Orlando Cruz são os outros pré-candidatos a Belém.

Mais Notícias