35 anos, 35 momentos da carreira de Cristiano Ronaldo

CR7 festeja nesta quarta-feira o seu aniversário. O DN recupera alguns dos melhores momentos de uma carreira fantástica e que parece ainda longe do fim. Afinal, neste início de 2020 marcou nos seis jogos que realizou pela Juventus, num total de dez golos. É uma máquina sem prazo de validade.

13/8/2002 - E tudo começou na... Champions

Aos 17 anos, Cristiano Ronaldo faz o seu primeiro jogo na equipa profissional do Sporting, em Alvalade. O destino quis que o palco para esse batismo fosse a Liga dos Campeões, a competição em que mais tarde viveria alguns dos momentos mais inesquecíveis da sua carreira. Era a primeira mão da 3.ª pré-eliminatória para entrar na prova milionária, e o treinador, Laszlo Bölöni, lançou-o aos 58 minutos a substituir o espanhol Toñito, mas o resultado manteve-se num 0-0 até ao final frente a um Inter Milão com estrelas como Javier Zanetti, Christian Vieri ou um tal de Sérgio Conceição.

7/10/2002 - Os primeiros golos ao Moreirense

CR7 ainda se deve lembrar da noite em que fez os primeiros golos da sua carreira. Ainda estaria longe de imaginar que seriam os dois primeiros de uma série de 722 em 997 jogos oficiais. O Sporting recebia o Moreirense em jogo da 6.ª jornada do campeonato e, aos 34 minutos, o jovem extremo começou a correr com a bola, passou por três adversários e bateu o guarda-redes Roberto Volpato. Um golo marcado com a simplicidade de quem jogava futebol com os amigos. Ainda antes do final, aproveitou um livre de Rui Jorge para subir e cabecear para fechar a vitória leonina em 3-0.

6/8/2003 - Alex Ferguson ficou enfeitiçado

O dia em que o novo Estádio José Alvalade foi inaugurado mudou a carreira de Ronaldo. O Manchester United foi a equipa convidada para esse momento solene para Sporting, mas a noite seria de pesadelo para o defesa direito irlandês John O'Shea, que já não sabia o que fazer para parar as diabruras do número 28 do Sporting. No banco de suplentes, Alex Ferguson, então treinador dos red devils, estava enfeitiçado pelo talento daquele rapaz franzino. Os leões ganharam por 3-1, mas naquela noite ficou logo decidido que o miúdo não faria mais nenhum jogo pelo clube que o lançou. Mudava-se de imediato para Old Trafford, a troco de 17 milhões de euros, e era-lhe entregue a mítica camisola 7, que tinha sido dos históricos George Best e David Beckham.

20/8/2003 - A estreia a seleção nacional

Ronaldo vivia um conto de fadas. Eram dias em que tudo parecia acontecer a uma velocidade vertiginosa. Após a estreia em Old Trafford, apanhou o avião para Portugal, onde o esperava Luiz Felipe Scolari, o então novo selecionador nacional que também se tinha encantado pela arte do miúdo. A estreia com as quinas ao peito estava marcada para Chaves, num particular com o Cazaquistão, que Portugal venceu por 1-0, graças a um golo de Simão. CR7 entrou ao intervalo para cumprir o início de uma história impar.

1/11/2003 - O primeiro golo na Premier League

O guarda-redes Shaka Hislop, natural de Trindade e Tobago, entrou para a história por ser o primeiro a sofrer um golo de Cristiano Ronaldo. O jogador português estava há apenas cinco minutos em campo, entrara a substituir Ryan Giggs, e Alex Ferguson ordenou-lhe para que marcasse um livre sobre a esquerda. E arrancou um remate cruzado que bateu no chão e não deu hipótese ao dono da baliza do Portsmouth. Logo a seguir fez o passe para Roy Keane fixar o resultado em 3-0.

22/5/2004 - O primeiro título da carreira

Se na Premier League o Manchester United não foi feliz, a equipa chegou à final da Taça de Inglaterra frente ao Millwall. Ronaldo lá estava entre os titulares, pronto para lutar pelo primeiro título da sua carreira. E foi ele que aos 44 minutos abriu o marcador no Estádio Millennium, em Cardiff. Os red devils acabariam por vencer por 3-0 e CR7 tinha inscrito o seu nome num dos troféus mais míticos do futebol mundial.

4/7/2004 - Final com lágrimas de frustração

A caminhada de Portugal no Euro 2004 acabou por ser excelente, com Ronaldo a contribuir com mais um golo na meia-final com a Holanda, que permitiu a presença na primeira final de uma grande competição de seleções. Com o Estádio da Luz lotado, o entusiasmo e a esperança pela conquista do título de campeão da Europa era enorme. Só que, outra vez a Grécia, acabou por vencer o jogo por 1-0, e CR7 não escondeu a frustração que o invadiu no final, com lágrimas que correram mundo.

7/9/2005 - Jogar com a dor da morte do pai

Foi provavelmente o jogo mais difícil da carreira de Cristiano Ronaldo, que estava em Moscovo com a seleção nacional para defrontar a Rússia em partida de apuramento para o Mundial 2006. Na noite da véspera da partida, chegou a notícia da morte do pai, Dinis Aveiro. O extremo decidiu não só permanecer com a equipa, mas também jogar. Esteve em campo os 90 minutos, num jogo que terminou empatado 0-0 e que acabou por ser importante para o apuramento da equipa das quinas.

11/6/2006 - A estreia no Campeonato do Mundo

Aos 21 anos, Ronaldo cumpria outro dos grandes sonhos da sua vida: participar no Campeonato do Mundo. Foi na Alemanha, mais concretamente em Colónia, que CR7 fez a sua primeira aparição nesta grande competição. Portugal acabou por ganhar 1-0 a Angola, graças a um golo de Pauleta, mas sem brilho da sua estrela emergente. O primeiro golo surgiria no jogo seguinte, em Frankfurt, de penálti, na vitória por 2-0 diante do Irão.

1/7/2006 - O dia em que "expulsou" o amigo Rooney

Cristiano Ronaldo e Wayne Rooney formaram uma excelente dupla no ataque do Manchester United. Contudo, a boa relação entre ambos sofreu um enorme abalo no jogo dos quartos-de-final do Mundial 2006, entre Portugal e Inglaterra. O avançado inglês pisou Ricardo Carvalho e após muita pressão de Ronaldo, o árbitro acabou por expulsar Rooney. CR7 foi criticado em Inglaterra e sentiu até receio de voltar para o United na época seguinte. Ainda para mais, Portugal venceu no desempate por penáltis, com o remate decisivo a ser de Ronaldo, pois claro.

13/5/2007 - Finalmente, campeão inglês

Foi apenas na quarta época no Manchester United que Cristiano Ronaldo festejou o primeiro título de campeão inglês. Numa Premier League disputada palmo a palmo com o Chelsea, os red devils foram mais fortes e acabaram por festejar na penúltima jornada em casa do rival Manchester City, graças a um penálti marcado por CR7, depois de uma falta cometida sobre si próprio.

12/1/2008 - O primeiro hat trick da carreira

O jogo com o Newcastle, da 22.ª jornada da Premier League 2007-2008, foi especial para Ronaldo, que já começava a desesperar por nunca ter conseguido marcar três golos num só jogo. Acumulava bis na sua carreira, mas faltava-lhe o passo seguinte. E essa tarde em Old Trafford foi mágica... CR7 festejou finalmente o primeiro de muitos hat tricks da carreira, para mal dos pecados do guarda-redes irlandês Shay Given.

11/5/2008 - A festa de bicampeão

Na última jornada da Premier League 2007-2008, o United estava obrigado a vencer em Wigan para se sagrar bicampeão. E a festa começou a ser feita com um golo de Ronaldo, de penálti, e foi consumada com o 2-0 da autoria de Ryan Giggs. CR7 chegou aos 31 golos no campeonato e sagrou-se o melhor marcador da prova. Um triunfo em toda a linha da estrela portuguesa.

21/5/2008 - Campeão europeu em Moscovo

A época perfeita foi concluída em Moscovo na final da Liga dos Campeões com o Chelsea. Ronaldo abriu o marcador aos 26 minutos, um golo que o confirmava como melhor marcador da Champions. Frank Lampard empatou em cima do intervalo e o título só foi decidido no desempate por penáltis. CR7 até falhou um dos remates, ficou em desespero e só suspirou de alívio quando pode finalmente festejar.

2/12/2008 - A primeira Bola de Ouro

A coroar um ano em cheio, Ronaldo conquista a sua primeira Bola de Ouro, atribuída pela revista France Football, superando Lionel Messi e Fernando Torres. A este prémio juntou ainda o FIFA World Player of the Year, que recebeu das mãos de Pelé.

15/4/2009 - Golo que valeu o prémio Puskas

Nos quartos-de-final da Liga dos Campeões 2008-2009, o Manchester United defrontou o FC Porto. E o jogo do Estádio do Dragão foi palco de um dos melhores golos da carreira de Ronaldo: um remate a mais de 30 metros da baliza que não deu hipótese ao guarda-redes Helton. Este monumento permitiu a CR7 conquistar o prémio Puskas, atribuído ao golo mais bonito de cada ano.

16/5/2009 - Tricampeão da Premier League

É o único futebolista português que se pode orgulhar de ter sido tricampeão inglês. Bastou um empate 0-0, em Old Trafford, com o Arsenal na penúltima jornada para que o Manchester United fizesse a festa de mais uma época gloriosa, em que Cristiano Ronaldo terminou com 18 golos no campeonato, a apenas um do francês Anelka, que foi o rei dos marcadores da Premier League. Este seria o último título de CR7 no United, pois onze dias depois perderia a final da Champions para o Barcelona.

6/7/2009 - Apresentação no Real Madrid com 85 mil pessoas

Nunca antes visto. O Estádio Santiago Bernabéu encheu-se com 85 mil pessoas só para verem com os seus próprios olhos a apresentação de Cristiano Ronaldo como nova estrela do Real Madrid, que pagou 94 milhões de euros pela transferência, um recorde na altura. A chegada de CR7 à família merengue foi apadrinhada por dois míticos futebolistas: Eusébio e Alfredo Di Stéfano.

23/10/2010 - O primeiro póquer da carreira

Ronaldo estava numa altura em que colecionava bis e hat tricks, mas havia que dar o passo seguinte e isso aconteceu num jogo com o Racing Santander no Estádio Santiago Bernabéu, da 8.ª jornada da Liga espanhola. O jogador português marcou quatro golos (póquer) de forma consecutiva na goleada de 6-1 aplicada pelo Real Madrid de José Mourinho. CR7 terminou a Liga espanhola 2010-2011 como rei dos marcadores com 40 golos marcados.

20/4/2011 - Mais um golo e o primeiro troféu em Madrid

O primeiro troféu pelo Real Madrid foi a Taça do Rei, cuja final frente ao Barcelona de Guardiola foi disputada em Valência e acabou por ser decidida por um golo de Ronaldo já no prolongamento.

2/5/2012 - Campeão de Espanha

O Real Madrid conquistava finalmente o título de campeão espanhol, após três anos de domínio do Barcelona. A festa foi feita a duas jornadas do final no País Basco, frente ao Athletic Bilbau. Ronaldo começou por falhar um penálti, mas ainda foi a tempo de fechar a vitória de 3-0 que fez rebentar os festejos blancos. CR7 era a grande figura da equipa, terminando a prova com impressionantes 46 golos... só superado pelos 50 de Messi.

19/11/2013: Jogo épico com a Suécia

A Friends Arena, em Estocolmo, foi para muitos o palco da melhor exibição de Cristiano Ronaldo ao serviço da seleção nacional. Portugal tinha ganho 1-0 à Suécia na Luz no playoff de apuramento para o Mundial 2014. Nessa noite, CR7 marcou três golos, fez uma exibição de encantar e foi decisivo para o triunfo por 3-2 e para o consequente apuramento. Ao mesmo tempo, igualou Pauleta como melhor marcador de sempre da seleção com 47 golos... nesta altura, já contabiliza 99 e aponta ao recorde de golos em seleções nacionais do iraniano Ali Daei, que fez 109.

13/1/2014: A segunda Bola de Ouro

Ronaldo terminou a época 2012-2013 com 69 golos marcados em 59 jogos oficiais, mas, apesar de não ter ganho qualquer título coletivo, acabou por ser coroado com a segunda Bola de Ouro da sua carreira, suplantando Messi e Ribéry. Pela primeira vez um jogador português recebia duas vezes este prémio.

24/5/2014: A conquista da Champions em Lisboa

O Estádio da Luz foi o palco da segunda Liga dos Campeões conquistada por Ronaldo e a primeira ao serviço do Real Madrid. A final foi um dérbi com o Atlético, que esteve muito perto de ganhar o troféu, não fosse Sérgio Ramos fazer o empate em cima do minuto 90. No prolongamento, CR7 fez uma assistência e marcou um golo de penálti, que permitiram aos merengues vencer por 4-1. Uma Champions de sonho para o jogador português que marcou 17 golos na prova, mais um recorde para a sua coleção.

12/1/2015: A terceira Bola de Ouro

Após uma época de 2013-2014 de sonho, durante a qual marcou 51 golos em 49 jogos pelo Real Madrid, Cristiano Ronaldo conquistou a sua terceira Bola de Ouro, superando o rival Lionel Messi e o guarda-redes alemão Manuel Neuer. A cerimónia fica marcada pelo grito do jogador português que se tornou viral: "Siiiiií."

30/9/2015: A noite dos 500 golos

Que melhor palco que a Liga dos Campeões para alcançar grandes proezas? Foi isso que aconteceu nesta noite de final de setembro na Suécia, onde o Real Madrid se deslocou para defrontar o Malmö. Ronaldo bisou na vitória por 2-0 e alcançou o golo 500 da sua carreira e tornou-se ainda o melhor marcador de sempre da história do Real Madrid, ultrapassando os 323 de Raúl. Quando deixou os merengues deixou o recorde nos 450 remates certeiros.

28/5/2016: A terceira Liga dos Campeões

Diz o provérbio que não há duas sem três. E o terceiro título europeu de clubes de Ronaldo surgiu em Milão, em mais uma final com o Atlético de Madrid. O Real venceu no desempate por penáltis, após 1-1 no prolongamento. CR7 assumiu o protagonismo ao bater o penálti decisivo que lhe permitiu levantar mais uma Champions.

10/7/2016: Campeão também por Portugal

Um dos momentos mais inesquecíveis da carreira de Ronaldo é a final do Euro 2016 com a França, em pleno Parque dos Príncipes. Era a oportunidade de Portugal conquistar um título internacional pela primeira vez na sua história. Só que uma lesão tirou CR7 do jogo logo aos 25 minutos. Temia-se o pior, até que surgiu um tal de Éder a resolver o jogo no prolongamento. Os instantes finais da partida ficaram marcados pelo nervosismo da estrela portuguesa no banco de suplentes, mais parecendo ele o selecionador. No final, voltaram as lágrimas, agora de felicidade ao serviço da seleção nacional.

09/1/2017: A quarta Bola de Ouro

Ronaldo fechava a época ano de 2015-2016 como campeão da Europa de clubes e seleções e 65 golos marcados. Nada mais lógico que voltasse a vencer a Bola de Ouro pela quarta vez, superando outra vez Lionel Messi e o francês Antoine Griezmann.

21/5/2017: Bicampeão espanhol

Numa Liga espanhola discutida palmo a palmo, foi só na última jornada que o Real Madrid pode fazer a festa de campeão, ao ir vencer a Málaga, por 2-0, com o primeiro golo a sair de Cristiano Ronaldo logo aos dois minutos.

3/6/2017: A melhor final de Champions de CR7

A quarta Liga dos Campeões conquistada por Cristiano Ronaldo foi provavelmente aquela em que fez a sua melhor exibição. Marcou dois dos golos da vitória do Real Madrid sobre a Juventus, por 4-1, numa final disputada no Estádio Millennium, em Cardiff, onde 13 anos antes tinha conquistado o primeiro título da sua carreira.

26/5/2018: E vão cinco Ligas dos Campeões

O último jogo de Ronaldo com a camisola do Real Madrid foi na final da Liga dos Campeões, realizada em Kiev. CR7 conquistava a quinta Champions da sua carreira, com um triunfo por 3-1 ao Liverpool. Desta vez não marcou, mas deixou no ar um rasto de saudade entre os adeptos merengues.

10/7/2018: Na Juventus por 117 milhões de euros

Aos 33 anos, Cristiano Ronaldo decidiu que tinha chegado a hora de ter um novo desafio na sua carreira. No Real Madrid tinha-se tornado rei e agora era a vez de tentar a sua sorte na Juventus, que pagou por ele 117 milhões de euros. Na apresentação garantiu que iria vencer também em Itália.

9/6/2019: O segundo título pela seleção

No Estádio do Dragão, a seleção nacional ergueu o segundo troféu da sua história na final da Liga das Nações com a Holanda, através de uma vitória por 1-0. Desta vez, Ronaldo não marcou, mas tinha feito o serviço nas meias-finais com um hat trick à Suíça, quatro dias antes.

20/4/2019: Campeão também em Itália

O ano de estreia de Ronaldo pela Juventus culminou com o título de campeão italiano, que juntava aos três que conquistou em Inglaterra e aos dois em Espanha. A festa foi feita a quatro jornadas do final da Série A, com um triunfo caseiro com a Fiorentina por 2-1, num jogo em que o avançado português ficou em branco, tendo terminado o campeonato com 21 golos e um total 28 remates certeiros na primeira época na Vecchia Signora.

Mais Notícias