PS promete levar salário mínimo aos 900 euros até 2026

Partido diz que quer também discutir um novo quadro fiscal para as empresas com vista a apoiar a elevação dos salários, e aprovar alterações às leis laborais até julho.

O Partido Socialista promete ir mais longe do que os compromissos assumidos até aqui pelo governo quanto à elevação do salário mínimo nacional, antecipando a meta de chegar aos 900 euros até 2026 caso sai a vencedor das eleições legislativas de 30 de janeiro e forme novo governo.

A medida é incluída nas linhas gerais do programa eleitoral do PS, apresentado nesta segunda-feira, e no âmbito do qual o secretário-geral do partido, António Costa, também se comprometeu a executar integralmente as medidas de apoio a famílias e empresas previstas na proposta chumbada de Orçamento do Estado para 2022 que precipitou as próximas eleições, assim como acelerar a convergência dentro da UE com a promessa "crescer acima da média europeia nos próximos quatro anos" (seis décimas acima daquilo que os 27 crescerem em média; e 1 ponto percentual acima da média da Zona Euro).

A subida do salário mínimo foi um dos pontos de afastamento entre PS e PCP na discussão da proposta de Orçamento, com o governo a não ir além da intenção de chegar aos 850 euros em 2025. Agora, perante a possibilidade de uma nova legislatura, o programa que o PS leva a eleições avança mais um ano no calendário, até 2026, e coloca a fasquia nos 900 euros, ao mesmo tempo que retoma a intenção de chegar a um acordo de rendimentos na Comissão Permanente de Concertação Social.

Leia as atualizações a esta notícia no Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG