Pandemia deixou Portugueses mais atentos às poupanças

65% dos inquiridos começaram a poupar mais a cada mês para enfrentar as implicações financeiras da pandemia.

Para muitos portugueses, a crise financeira trazida pela pandemia de covid-19 foi um alerta para dar mais atenção às finanças pessoais, conclui um relatório divulgado pela Blacktower Financial Management.

A empresa de serviços de aconselhamento financeiro quis perceber de que forma é que os residentes em Portugal, Espanha e Reino Unido estão a encarar a pressão em termos de finanças pessoais. Comparando com Espanha e Reino Unido, os portugueses são os mais preocupados: 80% dos inquiridos em Portugal dizem estar preocupados com as suas finanças pessoais, contra 71% em Espanha ou 61% no Reino Unido.

Os dados agora divulgados elaboram também um top dos locais onde os residentes afirmam estar mais preocupados com a sua situação financeira. Os inquiridos em Queluz afirmaram estar particularmente preocupados com as suas finanças (85%), seguido pelos residentes no Cacém (84%) e Braga (83%).

O relatório conclui que a covid-19 e todas as mudanças que esta acarretou a nível económico levou a uma mudança de atitude das famílias portuguesas para com as finanças pessoais: 65% dos residentes indicam que viram a pandemia como uma chamada de atenção para a sua situação financeira; já 70% dos inquiridos afirmam que, após o surgimento da pandemia, em março de 2020, decidiram fazer mudanças positivas aos seus hábitos de consumo.

Na tentativa de acautelar quaisquer imprevistos financeiros que ainda possam surgir como consequência da pandemia, quase dois terços dos portugueses (65%) afirmaram que decidiram começar a poupar mais algum dinheiro a cada mês.

Neste cenário, o relatório da Blacktower elabora um pequeno ranking das cidades onde os residentes dizem estar a fazer um esforço para poupar mais devido à pandemia. Lisboa ocupa o primeiro lugar nesta lista, com 72% dos residentes na capital a indicarem que passaram a poupar mais mensalmente. O Funchal ocupa o segundo lugar nesta classificação (71%), seguido pelo Porto (68%), Braga (65%) e, por fim, Coimbra (62%).

Espanhóis poupam mais
Comparando com Espanha e o Reino Unido, os portugueses são os mais preocupados com as finanças pessoais. No caso de Espanha, dois em cada três inquiridos afirmam estar preocupados com as suas contas. O nível de preocupação é superior em cidades como Múrcia (88%), Barcelona (85%) ou Málaga (85%).

No Reino Unido, Bristol é a cidade com residentes mais preocupados (66%), seguida por Birmingham (63%) ou Cardiff (60%).

A atitude de mudança e maior dedicação a poupar foi transversal aos três territórios analisados: no geral, 65% dos inquiridos em Espanha tenta poupar mais por mês; já no Reino Unido o valor ronda os 54%. Por cidade, Málaga e Alicante lideram na percentagem de população que afirma estar a poupar mais, com 77% e 76%, respetivamente. No Reino Unido, Belfast, na Irlanda, tem a maior percentagem de residentes a poupar (64%), seguida por Bristol (62%).

A Blacktower deixa alguns conselhos a ter em conta para equilibrar as finanças pessoais, a começar pela criação de um fundo de emergência, que deverá cobrir todas as despesas durante pelo menos três meses. É ainda aconselhado que seja "realista" nos seus gastos, sublinhando a importância de registar os gastos que faz. Se souber onde e quanto gasta mensalmente mais fácil será fazer as adaptações necessárias, aconselha.

Cátia Rocha é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG