Na corrida às obrigações de retalho todos os cuidados são poucos

Sem muitas alternativas de poupança, pequenos investidores acorrem às obrigações. TAP e SIC aproveitam o apetite e podem seguir-se mais empresas.

Os juros quase nulos dos depósitos bancários têm levado os aforradores a procurar novos voos para pôr o dinheiro a render. As empresas aproveitam essa fome por retornos e sucedem-se emissões de dívida direcionadas para o retalho. A procura não dá sinais de abrandar e os analistas antecipam novas operações. Mas todos os cuidados são poucos, para que os aforradores mais conservadores e inexperientes não sejam seduzidos por juros altos sem ter em conta os riscos.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias