Ministra da Agricultura garante verbas para regadio  

Está prevista a modernização de sistemas de regadio em operação e novas infraestruturas.

A ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, garantiu ontem, em Madrid, que os agricultores portugueses vão ter acesso a novos sistemas de regadio e que os existentes serão melhorados. Em visita à Fruit Attraction, certame que terminou esta quinta-feira na capital espanhola e onde marcaram presença mais de 20 empresas do setor das frutas e legumes, a governante procurou assim responder às preocupações dos produtores, para os quais as dificuldades de acesso a água são um entrave ao crescimento das produções e à realização de novos investimentos.

Segundo Maria do Céu Antunes, a verba de 750 milhões de euros inscrita no Programa Nacional de Investimentos 2030 será utilizada na melhoria dos sistemas já existentes e na construção de novas infraestruturas nas regiões com recursos hídricos e terra produtiva disponível. "Metade será para a modernização e a outra metade para construção de novos sistemas". A responsável pela pasta da Agricultura adiantou ainda que até ao final do ano será apresentado um estudo da EDIA, empresa responsável pelo desenvolvimento do Alqueva, de âmbito nacional, que dará a conhecer as regiões com mais potencial de regadio.

Após um périplo pelos 35 expositores portugueses presentes naquela que é uma das principais feiras internacionais do setor, Maria do Céu Antunes destacou a resiliência dos produtores no período pandémico e a sua capacidade de aumentar as exportações. Foi um setor "que não parou, que continuou a exportar e a vender, utilizando os recursos à sua disposição, nomeadamente os virtuais", afirmou. Nos últimos dez anos, as exportações de frutas, legumes e flores "cresceram 115%, de 780 milhões de euros em 2010 para 1683 milhões em 2020". Já no primeiro ano da pandemia, em 2020, a agricultura no seu todo cresceu 5,5% e nestes primeiros seis meses de 2021 aumentou as vendas ao exterior em 1,9%, apesar do mau ano agronómico, realçou ainda.

"A minha presença aqui [na Fruit Attraction] quer valorizar este setor tão importante para a economia", reconhecer que "o país pode e está a fazer um grande trabalho", mas "precisamos de fazer mais e para isso estamos a construir o plano estratégico para a PAC (Política Agrícola Comum)". Nesta matéria, a ministra apontou a necessidade do uso mais eficiente da água e da substituição de fertilizantes e pesticidas por formas mais orgânicas para que o setor seja "cada vez mais competitivo à escala nacional e global".

Em jeito de balanço da feira, o presidente da Portugal Fresh, associação de promoção do setor das frutas, legumes e flores, disse que todas as empresas presentes já anteviam um crescimento das exportações, mas após estes três dias do certame "foram superadas essas expectativas".

Em Madrid. A jornalista viajou a convite da Portugal Fresh

Sónia Santos Pereira é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG