Groundforce sem condições para dar ações como garantia

A Comissão de Trabalhadores da empresa de handling assume que as negociações entre Governo e acionista privado da Groundforce sofreram novo impasse, governo confirma que não há ainda acordo e que Alfredo Casimiro não pode dar as ações como garantia de empréstimo de emergência.

Durante os últimos dias, o governo e Alfredo Casimiro, acionista privado da Groundforce, com 50,1% da empresa, estiveram a negociar para tentar desbloquear um empréstimo de emergência, uma vez que a empresa de handling tem salários em atraso . O governo, através do ministério das Infraestruturas, confirma agora que não houve acordo e que o acionista privado da empresa de handling não tem condições para dar as ações da Pasogal como garantia para o empréstimo, uma vez que já se encontram penhoradas.

A reação do ministério de Pedro Nuno Santos surge depois de Eugénia Varzielas, da Comissão de Trabalhadores da empresa de handling, ter dito ao Dinheiro Vivo, que "estamos à espera de dados mais concretos para analisar. Percebemos que houve um novo impasse. Aguardamos por confirmação e mais dados", sobre o que impediu o avançar das negociações.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG