Huawei celebra parceria para atribuição de 50 bolsas de estudo

Multinacional assinou um memorando de entendimento com a Associação DNS.PT e o programa INCoDe.2030 para apoiar o desenvolvimento de futuros profissionais nas áreas STEAM.

Na reta final de mais uma edição da Web Summit, em Lisboa, a Huawei reforçou o compromisso de continuar a apoiar o desenvolvimento de talentos nacionais nas áreas STEAM - Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática - com a assinatura, esta quinta-feira, de uma parceria com a Associação DNS.PT e o programa INCoDe.2030. O momento aconteceu no stand da Startup Portugal e contou ainda com a presença do secretário de Estado para a Transição Digital e da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade. O programa vai "beneficiar 50 estudantes universitários portugueses" e será "lançado ainda este ano", garantiu Steven Cai, vice-presidente para a Europa Ocidental da gigante tecnológica.

Através deste projeto conjunto, a multinacional vai disponibilizar meia centena de bolsas de estudo no ensino superior para alunos portugueses. O objetivo passa não só por apoiar a formação daqueles que poderão vir a ser os futuros líderes tecnológicos e agentes da inovação nacional, mas também por contribuir para o aumento do número de profissionais das Tecnologias de Informação (TIC), cuja procura supera largamente a oferta. Aliás, a associação ao programa governamental INCoDe.2030 surge precisamente nesse sentido, já que esta iniciativa visa reforçar e aumentar o nível de competências digitais do país.

A coordenadora-geral do programa e presidente da Associação DNS.PT considera que "a inclusão digital é fundamental para uma inclusão social e para reduzir a exclusão digital" e acrescenta que as bolsas de estudo serão atribuídas de forma paritária. "Prevemos entregar o mesmo número de bolsas a raparigas e rapazes", adianta Luísa Ribeiro Lopes, reafirmando a importância de aumentar o número de especialistas femininas em TIC. Recorde-se, a este propósito, que apenas 7,4% dos CEO da Fortune Global 500 são mulheres e que estas trabalhadoras representam cerca de 20% a 30% da força laboral no setor.

Esta é, também, uma preocupação do governo que, através da presença de Rosa Monteiro, frisou o compromisso do executivo "em aumentar a participação das mulheres e raparigas no digital com ações concretas, como é exemplo este programa de bolsas de estudo". André Aragão de Azevedo, secretário de Estado para a Transição Digital, esteve esta terça-feira na Web Summit para apresentar as linhas gerais da estratégia nacional nesta área, tendo afirmado que Portugal tem "oportunidade de estar no centro do mundo utilizando o digital". Para isso, será necessário apostar no desenvolvimento de competências digitais, defendeu. Neste sentido, o INCoDe.2030 apresentará, a breve trecho, um conjunto de ações e iniciativas para a próxima década.

Este programa anunciado pela Huawei será acompanhado pelo Portugal Digital, que coordena o Plano de Ação para a Transição Digital, mas também pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade.
Desenvolver o talento nacional

"O compromisso da Huawei é determinante para a partilha de conhecimento com toda a indústria e, consequentemente, para a economia nacional", referiu o CEO da Huawei Portugal, Tony Li. O responsável acredita ser fundamental dar oportunidade a todos os cidadãos para que potenciem o seu talento, que será cada vez mais relevante para o desempenho do país na era digital. Esta é uma das razões que leva a multinacional a apoiar, há mais de 15 anos, a formação de estudantes portugueses na área das engenharias através de programas como o Seeds for the Future, a ICT Academy, a Summer School for Female Leadership in Digital Age, o Smart Bus e, mais recentemente, com um laboratório de 5G a inaugurar ainda este ano em Aveiro. "A Huawei tem vindo a trabalhar com todos os stakeholders para potenciar o lançamento de vários programas de apoio ao talento nacional", sublinhou Steven Cai.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG