FMI corta ajuda financeira ao Afeganistão

FMI é um grande credor do Afeganistão. País deve ao Fundo o equivalente a 464 milhões de euros. De acordo com as regras do FMI, o Afeganistão ainda poderia pedir mais 45 milhões de euros em empréstimos.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) decidiu cortar o acesso do Afeganistão às linhas de apoio financeiro (empréstimos, por exemplo) da instituição sediada em Washington. É uma reação à tomada de poder por parte dos talibãs, que aconteceu no último fim de semana, para grande surpresa de muitos na comunidade internacional, inclusive entre as forças talibãs.

Um porta-voz do FMI informou esta quarta-feira ao final do dia que "como sempre acontece, o FMI é guiado pelas opiniões da comunidade internacional. Atualmente, há uma falta de clareza no seio da comunidade internacional em relação ao reconhecimento de um governo no Afeganistão, como consequência, o País não pode aceder às linhas de direitos especiais de saque [SDR, linhas de crédito] ou outros recursos do FMI".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG