Próximo ano pode trazer duplo bónus no IRS

Um trabalhador com um salário bruto de 1000 euros deverá receber um adicional de reembolso de pelo menos 70 euros.

Em 2019, os trabalhadores vão receber reembolsos reforçados por terem retido mais IRS do que deviam e o salário líquido deverá crescer ligeiramente, caso o Governo proceda aos ajustamentos necessários nas tabelas de retenção, escreve o Jornal de Negócios, esta terça-feira.

Em causa está o facto de o Governo não ter ajustado as tabelas de retenção às alterações nos escalões negociadas com o BE e o PCP. "A redução na retenção na fonte de IRS não acompanhou a redução do imposto final", explica Ana Duarte, tax director da PwC, citada pelo mesmo jornal.

Pelas contas da consultora, um trabalhador com um salário bruto de 1000 euros deverá receber um adicional de reembolso de 70 euros. Mas, no caso de o Governo proceder ao restante ajustamento das tabelas, o trabalhador deverá auferir, logo em janeiro, um salário líquido superior.

Aumento do mínimo de existência

Os contribuintes cujo salário não ultrapasse os 653,85 euros não vão pagar IRS no próximo ano, devido ao aumento do mínimo de existência previsto através da atualização do Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

Prevê-se que o IAS registe uma subida 1,65% em 2019, cerca de sete euros, de 428,90 para 435,90 euros. O aumento esperado elevará o mínimo de existência para os 9153,90 euros, isentando assim do pagamento de IRS os contribuintes que recebam esse valor anualmente.

Leia mais no Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG