Autoeuropa suspende produção por 13 dias e só opera durante um terço do mês de dezembro

Comissão de Trabalhadores está preocupada com o desenrolar dos acontecimentos. Fiz que a fábrica de Palmela vai produzir menos 7000 carros este ano.

A maior fábrica de automóveis do País e líder nas exportações industriais portuguesas, a Autoeuropa, vai suspender a produção durante 13 dias em dezembro, aos quais deverão ser adicionados outros 7 dias (feriados, dispensas de trabalho e dias de fim-de-semana).

Assim, a operação de Palmela só vai laborar durante 11 dias no mês que vem, ou seja, cerca de um terço dos 31 dias de dezembro.

As contas são do DN/Dinheiro Vivo e constam do calendário de produção que consta de um comunicado da Comissão de Trabalhadores, enviado às redações esta terça-feira.

De acordo com a mesma fonte, a empresa informou que registou "uma significativa redução de produção para o ano de 2020, a qual sofreu uma quebra na ordem dos 7000 carros, situação que nos merece a maior atenção e preocupação".

Nos últimos anos, até 2019, a Autoeuropa bateu recordes sucessivos de produção, atingindo um máximo histórico de 254.600 veículos no ano passado. A fábrica da Volkswagen abriu em 1995 e atualmente emprega cerca de seis mil pessoas.

Quebra de quase 3% na produção, estima a empresa

Portanto, a redução prevista na produção deste ano, ampla e severamente marcado pela pandemia de covid-19, traduz-se numa quebra de quase 3% face a 2019, de acordo com os dados fornecidos pela administração da empresa aos representantes dos trabalhadores.

A Comissão de Trabalhadores da Volkswagen Autoeuropa refere ainda que "ao contrário do que a Comissão tinha proposto", que ia no sentido de fazer uma "paragem contínua" em dezembro, "tendo em conta o contexto pandémico", a administração optou por uma modalidade de paragens intermitentes "alegando razões de natureza logística".

Assim, os operários da Autoeuropa trabalham de 2 a 4 de dezembro (3 dias); depois param 4 dias (1 feriado incluído).

Depois retomam por mais 3 dias e param dois.

A seguir, voltam a laborar durante 5 dias seguidos até dia 18 de dezembro.

Luís Reis Ribeiro é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias