Acidentes obrigam CP a reduzir viagens de Alfa Pendular

Das dez unidades do serviço de topo da transportadora, duas estão fora de circulação. Supressão temporária de comboios permite à empresa ter reserva de material em caso de avaria.

A CP foi obrigada a reduzir as viagens de Alfa Pendular. Dos dez comboios desta frota, apenas estão disponíveis oito unidades. Os acidentes no vale de Santarém e em Soure levaram à imobilização de duas automotoras nos últimos meses. Ao suprimir temporariamente estas ligações, a transportadora utiliza menos material no dia-a-dia e consegue garantir que há um comboio de reserva em caso de avaria. Também evita que a empresa tenha de recorrer a comboios com menos conforto para garantir a deslocação aos passageiros.

A redução da procura por causa da covid-19 é apontada por fonte oficial da empresa como a principal razão para a suspensão da oferta de serviços de longo curso. Mas a mesma fonte assume ao DN/Dinheiro Vivo que a retoma dessas ligações "será realizada em função da evolução da pandemia e subsequente procura, bem como da disponibilidade do parque de material circulante, nomeadamente da frota do Alfa Pendular".

Há um total de 13 viagens que estão suspensas desde que Portugal saiu do estado de emergência, no final de maio. A restrição temporária destas ligações foi prolongada no final do mês passado já depois de terem saído os novos horários, por causa das obras na linha do norte entre Ovar e Gaia.

Os cortes afetam, sobretudo, o serviço Alfa Pendular, com menos sete viagens entre Lisboa, Porto, Guimarães e Braga. Também há efeitos na oferta do Intercidades, com menos duas viagens entre Lisboa e Porto e menos duas ligações entre Porto e Braga, de acordo com a informação disponibilizada pela CP.

No início de agosto, a empresa acabou por rever a suspensão de uma das duas unidades Alfa Pendular entre Porto e Faro, que circula apenas aos sábados até ao início de outubro. A culpa foi do "aumento da procura verificado nesses dias, por efeito das deslocações para férias".

A transportadora conta atualmente com oito unidades Alfa Pendular disponíveis. Um dos comboios está imobilizado desde 31 de julho, depois de ter abalroado, em Soure, uma máquina de manutenção de via da IP - Infraestruturas de Portugal. A CP já assumiu que esta unidade dificilmente poderá ser recuperada.

O segundo Alfa Pendular encostado chocou contra um camião numa passagem de nível no vale de Santarém em 22 de abril. Esta unidade está a ser reparada nas oficinas da CP no Entroncamento.

A disponibilidade destes comboios só não é menor porque entretanto foi concluída, no final de julho, a renovação de toda a frota do comboio de topo da empresa pública ferroviária.

Alfa com mais ocupação do que Intercidades

Apesar de a oferta de comboios estar próxima dos 100%, a CP continua a sentir os efeitos da pandemia na procura pelos serviços de longo curso. Atualmente, segundo a empresa, a taxa de ocupação média do Alfa Pendular foi de 45% enquanto os comboios Intercidades ficaram com apenas 33% dos lugares ocupados, ou seja, metade da lotação atualmente autorizada pelo governo.

A empresa, ainda assim, recuperou os índices de procura nos últimos três meses. Em junho, registou-se uma diminuição de 74%, para 147 mil passageiros; em julho, a quebra foi de 68%, para 196 mil clientes; os dados provisórios de agosto apontam para uma redução na procura de 58%, tendo viajado um total de 260 300 utentes.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Mais Notícias