Sérgio Conceição: "Erros de Marchesín? Eu também tenho deslizes"

O treinador do FC Porto desvalorizou as falhas do seu guarda-redes no jogo com o Famalicão e preferiu lançar críticas à arbitragem.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, admitiu esta terça-feira que os erros cometidos pelo guarda-redes Marchesín, que custaram a derrota aos dragões em Famalicão, estão ultrapassados. "Eu também tenho deslizes como treinador", sublinhou.

"Equivoco-me algumas vezes no onze inicial, depois do jogo tenho outras sensações. Quando escolho penso que estou a fazer o melhor, quando faço substituições também... Jogamos contra adversários que também são competentes. A forma como olhamos para os erros é que é importante e de ressalvar", disse, virando depois a agulha para outro plano: "Ouvi uma ou outra crítica que desejei boa sorte aos árbitros. Os árbitros não precisam de ser felizes, precisam de ser competentes. Se forem felizes e competentes, tanto melhor. Penso que não tivemos uma jornada também não muito feliz e competente no que foi a arbitragem."

As críticas ao trabalho dos árbitros não ficaram por aqui, sobretudo depois de ter sido questionado sobre se a paragem devido ao covid-19 prejudicou os clubes grandes, que não venceram na jornada anterior. "O ambiente é todo novo e diferente. Os jogos à porta fechada fazem lembrar a pré-época, quando o nosso nível competitivo ainda é baixo. Vamo-nos apercebendo que é difícil jogar contra um adversário onde não há o ambiente e atmosfera que os jogadores estão habituados. E há diferença entre quem joga para assumir as despesas do jogo e quem joga para outro resultado", começou por responder, antes de voltar ao ataque: "Os apanha-bolas estão distanciados entre 75 a 100 metros... vejam o tempo que se perde para repor a bola em jogo. Não quero cartões amarelos aos 90+2 minutos... É perda de tempo. Há situações dentro do jogo que são mais graves que um penálti ou uma jogada do género. Há três jogadores do Famalicão que deviam ter sido expulsos. Ninguém fala disso. Vejo na imprensa escrita a pontuação dos árbitros e o nosso foi o que teve menos."

Uma das novidades para a 26.ª jornada, que o FC Porto inicia esta quarta-feira (21.30 horas), no Estádio do Dragão, com a receção ao Marítimo, é a possibilidade de os treinadores fazerem cinco substituições, algo com o qual Sérgio Conceição não parece muito de acordo. "Sempre fui a favor de regras que pudessem dar qualidade ao jogo. Falo de frescura e intensidade para que o jogo seja atrativo. A nove jornadas do fim introduzir uma nova regra não sei se será benéfico. Se for bom para o futebol está, contudo, obviamente a favor."

No que diz respeito ao Marítimo, o treinador portista garante que se trata de uma equipa que "neste momento está muito bem orientada". "Cabe-nos assumir e dizer que temos de ganhar. O ambiente será diferente, estranho, onde falta o condimento que é o público, que cria uma atmosfera única num estádio de futebol. Estamos a aprender", assume, admitindo que o facto de não haver público na bancada, não diminuiu o favoritismo da sua equipa, mas deixou um aviso: "Para ter favoritismo é preciso demonstrá-lo durante os 90 minutos, mas entrar sem público é sempre pior. Temos de aceitar a realidade. Se me perguntarem, acho que há condições para ter públicos nos estádios."

Para este jogo, Sérgio Conceição já poderá contar com Alex Telles, que cumpriu castigo em Famalicão, ao contrário de Nakajima, que continua em casa e é, de acordo com o técnico, "um assunto da direção".

Dois dias depois de Pinto da Costa ter sido reeleito presidente do FC Porto, Sérgio Conceição deu "os parabéns aos sócios" pela afluência às urnas, o que "é bem demonstrativo da vida e da força do associativismo" do clube. Além disso, destacou "a importância da continuidade" do presidente que, em sua opinião, "é uma boa notícia para o futebol nacional e mundial". "Estamos provavelmente a falar do melhor dirigente de sempre. Espero que possamos enriquecer o museu com mais dois títulos", disse.

No que diz respeito à declaração de Pinto da Costa, que garantiu que Sérgio Conceição será treinador do FC Porto enquanto quiser, o técnico foi contido; "Tenho contrato. O presidente sabe o que eu penso e da relação que temos." Sobre a necessidade de apostar nos jovens da formação, Conceição revelou ter tido oportunidade de "falar um bocadinho" com o Fernando Gomes, o novo responsável por essa área. "Estarei aqui para ajudar com as minhas ideias para tornar o FC Porto mais forte."

Mais Notícias