Stephan Eustáquio fez uma travessura ao FC Porto

Dragão derrotado na deslocação a Paços de Ferreira (3-2), na sexta jornada da I Liga 2020-21. Árbitro Nuno Almeida foi protagonista maior. Além dos nove lances polémicos ainda expulsou os dois treinadores.

O ar cabisbaixo e a mão na cabeça de Sérgio Conceição a cada golo do Paços de Ferreira é a imagem que espelha o jogo de abertura da sexta jornada da I Liga 2020-21. Um FC Porto desnorteado e quase humilhado por um Paços atrevido, consistente e eficaz, com três golos em nove tentativas e ainda um golo anulado e três defesas de Marchesín. O resultado ficou 3-2 a favor dos da casa - há nove anos que os castores não marcavam três golos aos dragões - e assim o FC Porto sofreu a segunda derrota no campeonato e ficou a oito pontos do líder Benfica, num jogo onde o árbitro Nuno Almeida foi protagonista maior. Além dos nove lances polémicos ainda expulsou os dois treinadores.

Com Pepe de fora (teste inconclusivo para infeção por covid-19), o treinador do FC Portos apostou em Diogo Leite pela primeira vez nesta temporada. Em relação ao jogo com o Olympiacos, saem também o castigado Zaidu e o jovem médio Fábio Vieira, que deram lugar a Grujic (estreia a titular) e Evanilson. Mudanças que têm sido imagem deste novo FC Porto versão 2020-21, que teima em andar aos zigue zagues exibicionais e na classificação.

Do outro lado apareceu uma equipa com apenas duas novidades. O goleador Douglas Tanque foi baixa de última hora e deu o lugar a Dor Jan. E seria o israelita a escrever o nome na ficha dos marcadores do jogo ao bater Marchesín aos 11 minutos. Um golo na primeira tentativa que apanhou os dragões de surpresa e catapultou os castores no terreno. Muito perigosos em lances rápidos, os homens da Capital do Móvel, introduziram a bola na baliza portista por três vezes antes do intervalo, mas só dois contaram.

Nuno Almeida anulou um golo a Luhter Sing gerando muita contestação no banco do Paços. Pepa, que esta noite voltou ao banco depois de recuperado da covid-19, foi expulso por protestos e foi já da bancada que viu o segundo golo da sua equipa, por Stephen Eustáquio. Marchesín abria os braços e gesticulava enquanto pedia mais atenção nas marcações. Antes do intervalo, o árbitro voltou a ser protagonista ao marcar um penálti a favor do FC Porto. Chamado a marcar Sérgio Oliveira fez o que lhe competia e reduziu a desvantagem.

Ferro da baliza e Marchesín impediram humilhação

Desconte com o que se passava em campo, Sérgio Conceição mandou Luis Díaz e Nakajima a aquecer para o segundo tempo, deixando Uribe e Grujic nos balneários. Foi por isso FC Porto mais aguerrido, dinânico e determinado em dar a volta ao marcador. Os dragões sõ não contavam com mais um golo do adversário. Marega esteve em jogo não no ataque e quando foi dar uma ajuda à defesa acabou por meter mão à bola e dar a oportunidade à equipa de Pepa de fazer o 3-1. Chamado a marcar o ex-dragão Bruno Costa não tremeu e repôs a vantagem de dois golos para os castores.

E por pouco o resultado não ganhou contornos de escândalo. Aos 68 minutos Stephen Eustáquio deixou a barra da baliza de Marchesín a tremer e obrigou o técnico portista a mexer na equipa outra vez. O meio campo continuava a ser um passador demasiado largo para as investidas ofensivas do Paços e logo depois Bruno Costa obrigou o guarda-redes argentino a brilhar para evitar o quarto golo dos castores.

Embalado para a frente, a equipa de Pepa viu o FC Porto reduzir com uma bomba de Otávio. O golaço do brasileiro foi apenas um fogacho numa equipa sem alma e que só não saiu humilhado da Capital do Móvel porque Marchesín o impediu.

Os três pontos ficaram em casa, naquele que foi o quinto triunfo dos castores em 47 embates com os dragões. Um jogo "épico" e a "roçar a perfeição", segundo Pepa, onde os castores ficaram com o doce e fizeram a travessura em noite de Halloween.

FIGURA

Stephan Eustáquio

Um jogaço do internacional sub-21. O luso-canadiano dominou por completo o meio-campo e ainda apareceu em zona de finalização por algumas vezes. No lance do 2-0 Eustáquio recuperou a bola, passa para Hélder Ferreira e apareceu à entrada da área para concluir. Ainda viu o ferro impedir que marcasse o segundo.

VEJA AQUI OS GOLOS

77'- GOLO DO FC PORTO. Marcou Otávio

57'- GOLO DO PAÇOS. Marcou Bruno Costa

45'+5'- GOLO DO FC PORTO. Marcou Sérgio Oliveira

43'- GOLO DO PAÇOS. Marcou Stephen Eustáquio

11'- GOLO DO PAÇOS. Marcou Dor Jan

FICHA DE JOGO

Jogo no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira

Paços de Ferreira - FC Porto, 3-2

Marcadores: 1-0, Dor Jan, 11 minutos; 2-0, Stephen Eustáquio, 43'; 2-1, Sérgio Oliveira, 45'+7'; 3-1, Bruno Costa, 59'; 3-2, Otávio, 78'

Equipas:

Paços de Ferreira: Jordi, Fernando Fonseca, Marco Baixinho, Marcelo, Oleg, Stephen Eustáquio, Luiz Carlos (Diaby, 75'), Bruno Costa, Hélder Ferreira (João Amaral, 75'), Dor Jan (João Pedro, 83') e Luther Singh (Uilton, 88')

Treinador: Pepa

FC Porto: Marchesín, Corona, Mbemba, Diogo Leite, Wilson Manafá, Grujic (Nakajima, 46'), Sérgio Oliveira (Fábio Vieira, 87'), Uribe (Luis Díaz, 46'), Marega (Taremi, 66'), Evanilson (Felipe Anderson, 72') e Otávio.

Treinador: Sérgio Conceição

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve)

Ação disciplinar: Cartão amarelo para João Pedro (84') e Sérgio Oliveira (84')

O treinador do Paços de Ferreira e o seu adjunto, Pepa e Samuel Correia, respetivamente, foram expulsos aos 40 minutos. O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, foi expulso após o final do encontro

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19

Mais Notícias