FC Porto vence Sp. Braga e deixa final da Taça bem encaminhada

Com golos de Alex Telles, Tiquinho Soares e Brahimi, os dragões bateram o Sp. Braga por 3-0 na primeira mão da meia-final da Taça de Portugal e ganharam ânimo para o clássico. Tira-teimas é no dia 3 de abril, mas a vantagem dos dragões é confortável

O FC Porto recebeu e venceu esta terça-feira o Sporting de Braga, por 3-0, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, ganhando assim uma importante vantagem para o confronto da segunda mão que se realiza a 3 de abril - o outro finalista da prova sairá do vencedor do Sporting-Benfica, com os encarnados em vantagem após o 2-1 no primeiro jogo. Foi um triunfo tranquilo da equipa de Sérgio Conceição, que no sábado recebe o Benfica num clássico importante para as contas do título

Sérgio Conceição manteve a equipa que tão bom recado deu contra o Tondela (3-0), na sexta-feira, com a única alteração a surgir na baliza (Fabiano no lugar de Casillas). No banco estavam alguns pesos pesados, casos de Militão, Brahimi, Danilo, Marega e Soares - convém não esquecer que sábado é dia de clássico com o Benfica.

Já Abel Ferreira mudou cinco peças em relação à equipa que sofreu a primeira derrota caseira da época, também na sexta-feira, quando os arsenalistas foram surpreendidos na Pedreira pelo Belenenses - saíram do onze Tiago Sá, Ailton, Goiano, Eduardo e Murilo e entraram Marafona, Sequeira, Esgaio, Raul Silva e Fransérgio.

O jogo começou aberto, sem receios de parte a parte, com o FC Porto a tentar sair com a bola controlada e o Sp. Braga a optar por ataques rápidos pelas alas aproveitando o adiantamento dos laterais portistas Manafá e Alex Telles. E foi num lance assim que surgiu a primeira oportunidade do jogo, com Wilson Eduardo a rematar, a bola a bater em Alex Telles e quase a trair o guarda-redes Fabiano.

Aos poucos, o FC Porto foi tomando conta das operações, quase sempre com ações atacantes dos dois defesas laterais, a cruzarem bolas para os homens mais adiantados. Aos 27', após um canto, Pepe quase marcou de cabeça no dia do seu 36.º aniversário, valendo a atenção de Marafona. Mas aos 37' o FC Porto colocou-se em vantagem, com um golo de Alex Telles de grande penalidade, a castigar uma falta de Marafona sobre Herrera (foram precisos três minutos de espera devido a uma falha de comunicação do árbitro João Pinheiro com o VAR).

A segunda parte começou logo com uma alteração na equipa do FC Porto, com Sérgio Conceição a trocar Fernando Andrade por Soares, talvez a querer apostar no facto de o avançado brasileiro ter marcado nos dois jogos anteriores contra os arsenalistas e também para Tiquinho ganhar ritmo para o clássico de sábado com o Benfica.

A primeira oportunidade do segundo tempo foi do Sp. Braga, com Dyego Sousa a testar os reflexos de Fabiano. Aos 61', foi a vez de Corona colocar à prova Marafona e depois quase imediatamente a seguir novo golo dos dragões, com Soares a mostrar que tem de facto uma apetência especial para marcar ao Sp. Braga - já são cinco golos em sete jogos, divididos entre o Nacional, V. Guimarães e o FC Porto (três).

Com uma desvantagem de dois golos, Abel Ferreira mexeu na equipa. Começou logo com uma dupla substituição aos 68', lançando Murilo e Ryller para os lugares de Palhinha e Ricardo Horta. E depois uma alteração algo estranha com a equipa a perder por 2-0, com a troca de avançados - Paulinho por Dyego Sousa.

Sérgio Conceição mandou a equipa abrandar, afinal a vantagem de 2-0 dava uma certa comodidade para o jogo da segunda mão e era imperioso que o Sp. Braga não marcasse porque os golos fora valem nesta competição. E foi por isso que aos 79' lançou Danilo para o lugar de Otávio, para dar mais força ao meio campo defensivo e minutos a um jogador que regressava de duas semanas de ausência por lesão.

Antes do final da partida ainda fez entrar Brahimi por troca com Adrián Lopez. E o momento da noite foi mesmo do argelino, que fechou a contagem na compensação com um grande golo, que deixa os dragões com as portas escancaradas para a final do Jamor, num dia em que teve pela frente um adversário longe dos momentos que já mostrou esta temporada e que está em nítida queda - sofreu esta terça-feira a terceira derrota consecutiva.

O jogo terminou e manteve-se a tendência dos confrontos entre as duas equipas disputados na Taça de Portugal. Nas 18 partidas entre os dois emblemas, o FC Porto venceu 13, perdeu três e registaram-se dois empates. O tira-teimas e o finalista da Taça de Portugal só será conhecido a 3 de abril, quando as duas equipas jogarem a segunda mão em Braga. Para já, a vantagem é dos dragões.

A FIGURA: TIQUINHO SOARES

Só entrou na segunda parte, logo após o intervalo, para o lugar do apagado Fernando Andrade. E deu logo outra dinâmica ao ataque do FC Porto. Aos 63' marcou o segundo golo da equipa, onde surgiu bem posicionado a dar o melhor seguimento a um cruzamento de Otávio que ainda bateu em Claudemir. E depois esteve sempre muito em ação, com a oportunidade de bisar aos 76', num lance em que atirou à figura de Marafona. Mostrou neste jogo que tem um gostinho especial para marcar ao Sp. Braga - já são cinco golos em sete jogos, divididos entre o Nacional, V. Guimarães e o FC Porto (três).

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto-Sporting de Braga, 3-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores: 1-0, Alex Telles, 37 minutos (grande penalidade); 2-0, Soares, 63; 3-0, Brahimi, 90+4.

FC Porto: Fabiano, Manafá, Felipe, Pepe, Alex Telles, Herrera, Óliver, Corona, Otávio (Danilo, 79), Adrián López (Brahimi, 82) e Fernando Andrade (Soares, 46).

Treinador: Sérgio Conceição.

Sporting de Braga: Marafona, Esgaio, Raul Silva, Bruno Viana, Sequeira, Claudemir, João Palhinha (Murilo, 68), Fransérgio, Ricardo Horta (Ryller, 69), Wilson Eduardo e Dyego Sousa (Paulinho, 73).

Treinador: Abel Ferreira.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Marafona (33).

Assistência: 33.707 espetadores.

Mais Notícias