Portugal vence Liga Europeia de futebol de praia pela sexta vez

Portugal recuperou de uma desvantagem de 2-0 e venceu a Rússia por 4-2.

Portugal tornou-se neste domingo na primeira seleção a conquistar por seis vezes a Liga europeia de futebol de praia, ao vencer na final a Rússia por 4-2, na Figueira da Foz, isto num jogo em que a seleção nacional esteve em desvantagem por 2-0, mas reagiu e conseguiu dar a volta ao marcador.

Na Figueira da Foz, Zemskov, aos seis minutos, e Makarov, aos 11, davam vantagem aos russos no primeiro período, perante um Portugal irreconhecível: Léo Martins reduziu, aos 24, e, no derradeiro terço, Rui Coimbra (29), Belchior (32) e Be Martins (34) completaram a reviravolta, num desafio em que os anfitriões acertaram por três vezes nos ferros.

A seleção nacional, que já tinha conquistado a competição em 2002, 2007, 2008, 2010 e 2015, passou a somar mais um troféu do que Rússia e Espanha, ambas com cinco.

Aos 5.45 minutos, Leo Martins agarrou Zemskov pelas costas cometendo penálti que Elington Andrade defendeu: os lusos ainda festejavam a intervenção do guarda-redes, quando Zemskov aproveitou a desatenção para marcar, com remate à meia-volta.

Os lusos sentiam muitas dificuldades para criar perigo e o mais próximo que estiveram de marcar foi num remate do guarda-redes, que bateu na areia e foi à trave, aos 11 minutos.

A terminar o primeiro dos três períodos de 12 minutos, Makharov, de livre junto à sua área, rematou forte para o 2-0, de pouco valendo a estirada de Elington.

O pronuncio de uma atitude mais aguerrida dos pupilos de Mário Narciso, mais perigosos no segundo período, surgiu nos pés de Ruben Brilhante (13 minutos), que atirou contra o guarda-redes e a bola desviou para o poste.

Os russos não davam espaço, pelo que Portugal só marcou longe da baliza, em lance aparentemente inofensivo: perto do meio campo, Léo Martins rodou e rematou à meia-volta, com a bola a bater na areia e enganar o guarda-redes.

Nos 12 minutos finais, os lusos intensificaram a pressão e dispuseram de dois livre diretos em posição privilegiada, contudo Ricardinho (27) e Jordan Santos (29) apostaram na potência do remate e erraram o alvo.

Portugal era 'senhor' do jogo e o inevitável empate surgiu pela cabeça de Rui Coimbra, a desviar um cabeça, com a bola a ir à areia e mudar a trajetória para golo.

Be Martins ainda atirou a bola à trave antes do tento da reviravolta, conseguido pela persistência de Belchior que pressionou o guarda-redes, provocando-lhe o erro, pois a sua reposição de bola foi cortada pela cabeça do português e o esférico só terminou na baliza.

A dois minutos do fim, Leo Martins deu de calcanhar para o irmão gémeo Be Martins, que fez o 4-2 definitivo e sentenciou o sexto título luso.

"Gostaria de felicitar a seleção nacional de futebol de praia pela brilhante conquista do título europeu na Figueira da Foz. As vitórias consecutivas frente a Turquia, Ucrânia, Itália e Rússia vieram confirmar o valor de uma equipa nacional que sabe sempre superar-se a si própria nas horas decisivas. A todos os nossos jogadores, ao Mário Narciso e a sua equipa técnica e a todo o staff agradeço a forma como prestigiam o desporto nacional e o próprio país. Obrigado e Parabéns!", referiu ao site da FPF o presidente Fernando Gomes.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.