O jogo que envergonha o futebol foi retomado com 'show' de Neymar e Mbappé

Partida interrompida na terça-feira foi retomada esta quarta-feira, com triunfo dos franceses (5-1). Turcos acusaram o quarto árbitro de chamar "preto" ao treinador adjunto Basaksehir... que por sua vez terá chamado "ciganos" aos árbitros romenos. UEFA investiga.

Neymar e Mbappé. Os dois jogadores do PSG que comunicaram ao árbitro do jogo com o Basaksehir de terça-feira, que os franceses não iriam continuar em campo, depois de os turcos acusarem o quarto árbitro de racismo e abandonarem o relvado em protesto, foram os protagonistas da vitória da equipa de Paris, esta quarta-feira, no retomar da partida, com nova equipa de arbitragem.

Os jogadores entraram em campo com uma camisola a frepudir o racismo. Depois, assim que o hino da Champions ecoou no Parque dos Príncipes, em Paris, as equipas ajoelharam-se no centro do relvado de punho no ar - movimento celebrizado pelo jogador de futebol americano, Colin Kaepernick, nos EUA em 2016 e se tornou gesto universal na luta contra o racismo.

Depois a bola rolou e o PSG cilindrou o Basaksehir por 5-1, com três golos de Neymar e dois de Mbappé. Topal marcou o golo da honra turca. Com esta goleada, o PSG garantiu o primeiro lugar do grupo H, com 12 pontos, relegando o Leipzig para segundo, com nove. O Manchester United, também com nove pontos, caiu para a Liga Europa, enquanto a equipa de Istambul disse adeus à Europa por este ano.

O PSG é um dos possíveis adversários do FC Porto nos oitavos de final.

"O preto" que terá chamado "ciganos" ao árbitros. Situação envergonha o futebol

Tudo aconteceu aos 13 minutos do jogo da sexta e última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões de terça-feira, quando o assistente disse ao árbitro para mostrar um cartão a um elemento do banco do Basaksehir. Quando o chefe da equipa de arbitragem lhe perguntou quem era ele terá respondido: "o preto", referindo-se a Pierre Webo, treinador adjunto da equipa turca.

O avançado senegalês, Demba Ba, ouviu e confrontou-o. "Quando apontas para um jogador branco, não dizes 'este jogador branco'. Então por que é que quando falas num jogador preto tens de dizer 'este jogador preto'?", questionou o jogador, acusando assim o romeno Sebastian Colţescu de ofensa racista contra o camaronês da equipa turca.

Demba Ba acabou expulso pelo árbitro romeno, Ovidiu Hategan - esta quarta-feira a UEFA reverteu essa decisão e ele pode jogar -, o que gerou ainda mais confusão e levou a equipa de Istambul a abandonar o relvado. Os franceses saíram logo de seguida aliando-se ao protesto. Nas imagens é possível ver Neymar e Mbappé a informar o árbitro que também iam recolher aos balneários.

Depois de uma tentativa de retoma, a partida foi adiada para esta quarta-feira. Entretanto o romeno Sebastian Coltescu garantiu que quem o conhece sabe que ele não é racista. E um jornalista romeno escreveu que não é Coltescu o autor da ofensa, mas sim um dos assistentes, Octavian Sovre. "O diálogo completo: 'O preto além. Vai e verifica quem ele é. O preto além, não é possível agir daquela forma'", escreve Emanuel Rosu, citando a comunicação entre os árbitros e garantindo que "os árbitros romenos alegam que o Webo os apelidou de ciganos a partir do segundo minuto" e por isso foi admoestado.

Versões diferentes que a "investigação detalhada" da UEFA aos acontecimentos promete descortinar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG