Morreu Reinaldo Teles, histórico dirigente do FC Porto, vítima de covid-19

Braço-direito de Pinto da Costa no FC Porto morreu esta quarta-feira no Hospital de São João, no Porto. Tinha 70 anos e foi-lhe sido diagnosticada covid-19 há um mês.

Morreu Reinaldo Teles, histórico dirigente portista e uma das pessoas mais próximas de Pinto da Costa no FC Porto, vítima de covid-19, confirmou o DN junto de fonte do Hospital de São João, no Porto. Estava ligado aos dragões desde 1967.

O dirigente portista tinha sido diagnosticado com coronavírus há cerca de um mês e estava internado no Hospital de São João, onde morreu esta quarta-feira. Tinha 70 anos de idade e pertencia ao grupo de risco não só pela idade como por via de outras complicações de saúde, como problemas cardíacos. Antes do jogo do FC Porto com o Portimonense, dezenas de elementos da claque Super Dragões estiveram à porta do hospital, a apoiar o "tio Reinaldo", que sempre teve uma ligação estreita com a claque.

O FC Porto que se encontra em Marselha para jogar a Champions, já reagiu à morte do dirigente. "70 anos a amar o FC Porto, 50 a lutar pelo FC Porto. Até sempre, Reinaldo Teles", escreveu o emblema azul e branco no Twitter.

Também André Villas-Boas já lamentou a morte de quem o apadrinhou no mundo do futebol. "Abriste-me as portas do futebol. Jamais te esquecerei. Descansa em paz querido Chefinho", escreveu no Instagram o treinador do Marselha, que esta quarta-feira joga com o seu FC Porto.

Já Pedro Proença "só tem a dizer coisas positivas como pessoa" do dirigente e administrador da SAD do FC Porto", acrescentando, que "o desporto e o país ficam mais pobres". Para o presidente da Liga Portugal, o dirigente fica na história por ter ganho todos os títulos possíveis no futebol profissional, como a Taça Intercontinental, Liga Campeões, Liga Europa, inúmeras vezes campeão nacional, assim como, venceu inúmeras Taças de Portugal e Supertaças Cândido Oliveira.

Antigo pugilista esteve no título europeu do FC Porto m 1987

Conhecido por ser o braço direito de Pinto da Costa, o antigo pugilista dos dragões conheceu o presidente do FC Porto quando ele ainda chefiava a secção de Boxe. Foi na modalidade que o consagrou que entrou no dirigismo a convite do líder dos dragões. Chegou a liderar o futebol dos dragões no final da década de 80 e início dos anos 90, tempos de grandes conquistas portistas, incluindo a Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1987. Agora era administrador não executivo da SAD.

"Reinaldo Teles integrou o leque de administradores da SAD e do clube portista e, lado a lado com o amigo e presidente Pinto da Costa, contribuiu para as imensas vitórias portistas que engrandecem as vitrinas da instituição tripeira", pode ler-se no site do clube, que representou desde 1967.

Figura acarinhada pelos adeptos e dirigente reconhecido pelos seus, no final de 1989 recebeu o Dragão de Ouro para dirigente do ano, em 1994 foi distinguido com o estatuto de sócio honorário do FC Porto e em 1998 foi condecorado com o Dragão de Honra.

Gostava de estar na sombra. Não queria ser protagonista e por isso recusava dar entrevistas. Segundo ele a opinião dele só contava para dentro (do clube, entenda-se) e não para fora. Uma das raras vezes que falou foi para recordar os tempos em que era pugilista. "Eu tinha muito jeito mas, acima de tudo, treinava muito. Chegava a estar mais de uma hora aos murros ao "saco" e fui campeão porque era mais forte, mais ágil de pernas e braços. Que me lembre, nunca fui ao tapete e nunca perdi por KO", disse ao jornal Tribuna de Macau em agosto.

Um mês depois de ser infetado perdeu a luta para a covid-19.

(Em atualização)

Mais Notícias