Morreu Nobby Stiles, o homem que melhor soube marcar Eusébio

Fez parte da seleção inglesa que venceu o Mundial de 1966 e que eliminou Portugal nas meias-finais, num jogo em que ficou famosa a marcação de Stiles à estrela portuguesa

Dizem-nos os relatos da época que ninguém terá anulado Eusébio tão bem quanto ele. E se Inglaterra ganhou o Mundial de 1966 dever-lhe-á tanto o título quanto às estrelas Bobby Charlton ou Geoff Hurst, pela forma como secou a principal arma da seleção portuguesa, na meia-final.

Nobby Stiles, membro dessa seleção que conquistou o único título mundial da Inglaterra, em 1966, morreu esta sexta-feira aos 78 anos, após doença prolongada, anunciou sua família.

A história de Stiles, como várias pessoas recordaram já esta sexta-feira, na reação à morte do também ex-jogador do Manchester United, encontra em Eusébio os seus pontos altos. Médio defensivo de marcação implacável, o "tigre desdentado" - como era conhecido devido à sua figura física - Stiles foi fundamental para anular o craque da seleção portuguesa e do Benfica em ocasiões tão importantes quanto essa meia-final do Mundial de 1966 ou a final da Taça dos Campeões Europeus em 1968, em que o Manchester United levou a melhor sobre as águias tornando-se o primeiro clube inglês a vencer a competição.

No Mundial de 1966, pela seleção inglesa, jogou todos os minutos da campanha, ficando célere a forma como conseguiu manter Eusébio, a grande figura da prova até ali, "desligado" do jogo na meia-final entre Inglaterra e Portugal (2-1) - o astro da seleção nacional marcaria apenas o golo de honra, de penálti.

Nobby Stiles, cuja dança comemorativa em Wembley, com o troféu de campeão do Mundo numa das mãos e a dentadura na outra, ficou uma da simagens mais icónicas desse triunfo inglês, era apontado como o "coração e a alma" dessa seleção campeã em 1966.

"Era o coração e a alma da equipa, fará muita falta", publicou no Twitter Geoff Hurst, que nessa final marcou três golos na vitória por 4 a 2 sobre a Alemanha Ocidental.

.
Stiles sofreu uma série de problemas de saúde mais tarde na vida, incluindo cancro da próstata e um diagnóstico de demência.

Em 2010, após um mini derrame cerebral, decidiu vender as suas medalhas de campeão para deixar algo para a família. O Manchester United comprou-as por 200 mil libras (mais de 200 mil euris) e as medalhas agora estão guardadas no museu do clube.

"A família Stiles está triste em anunciar que Nobby Stiles faleceu pacificamente hoje (30/10/2020) cercado por sua família após uma longa doença", divulgou esta sexta-feira um comunicado familiar.

"A família gentilmente pede privacidade neste momento triste."
Stiles, que também conquistou dois títulos com o Manchester United, é o mais recente membro dessa seleção inglesa de Alf Ramsey em 1966 a falecer neste ano de 2020. Jack Charlton morreu no início deste ano e Norman Hunter - que não jogou na final, mas estava na equipa - também.

Apenas George Cohen, Hurst, Roger Hunt e o ícone do Manchester United, Bobby Charlton, permanecem vivos, daquele onze titular.

"Anão meio cego"

Stiles nasceu no porão da casa da família durante um ataque aéreo da Segunda Guerra Mundial, em maio de 1942 e, como ele relatou na sua biografia de 2003, 'After The Ball', essa não foi a última das suas dificuldades.

"Eu nasci um anão meio cego (ele sofria de severa miopia) que foi bombardeado pelos alemães e atropelado por um elétrico quando tinha um ano."

Stiles - que era católico romano devoto e ia à missa em todos os dias das finais - era um dos rostos mais instantaneamente reconhecíveis da equipa de 1966, com um sorriso que revelava uma série de dentes em falta.

"A imagem de Nobby a dançar é o momento mais icónico da história do futebol britânico, além de Bobby Moore a erguer o troféu", disse o ex-capitão do Manchester United Gary Neville, à Sky Sports News.

"Estamos extremamente tristes ao saber da morte de Nobby Stiles, um membro chave da nossa equipa vencedora do @FifaWorldCup, aos 78 anos de idade. Todos os nossos pensamentos estão com os entes queridos de Nobby", reagiu a conta oficial da seleção inglesa no Twitter.


Stiles deixou o Manchester United em 1971, passando a jogar pelo Middlesbrough e Preston. Mais tarde, treinou o Preston entre 1977 e 1981, antes de treinar os canadianos do Vancouver Whitecaps e depois o West Brom entre 1985 e 1986.

Voltou ao United como técnico da equipa juvenil e ajudou ao lançamento da famosa classe de 92, que incluía nomes como David Beckham, Neville e Ryan Giggs.

"Em momentos como este, de repente percebemos como passámos tempos especiais com pessoas como Nobby", acrescentou Gary Neville. "Ele era feroz, nunca deixava nada de fora quando jogava. E para ele, vencer era fazer tudo o que fosse possível por isso."

Mais Notícias