João Almeida perdeu a rosa. Rúben Guerreiro garantiu vitória final na montanha

Ciclista português da equipa belga Deceuninck Quick-Step teve dificuldades na 18.ª etapa. Compatriota da Education First garantiu vitória na montanha.

João Almeida perdeu a liderança da Volta a Itália em Bicicleta (Giro). Depois de 15 dias a vestir a camisola rosa, o ciclista português caiu para quinto lugar da geral a três dias do fim da prova - termina domingo, em Milão. O holandês Kelderman é o novo líder da corrida.

Depois de superar feitos de Acácio da Silva e Joaquim Agostinho, João Almeida poderá igualar o melhor resultado final de um português no Giro, o quinto lugar de José Azevedo na edição de 2001.

O jovem ciclista português pode ter perdido a rosa, mas chorou de emoção ao chegar ao fim da etapa e ver as bandeiras de Portugal: "Estou orgulhoso por tudo o que fiz. Estou feliz. Por outro lado, perdi a camisola rosa. Os outros eram mais fortes e não havia nada que eu pudesse fazer. Eu estava no limite e sabia que não podia ir com esse ritmo até ao topo. Depois levei o meu ritmo para não perder muito tempo. No final, penso que fiz uma boa etapa. Eles foram super fortes. Não estou ao nível deles. Gosto da subida do Stelvio, é super difícil. Fiquei feliz por ter a minha família e alguns portugueses lá no topo. Até chorei de emoção e estou-lhes muito grato."

Na 18.ª etapa, a penúltima de alta montanha deste Giro 2020, que ligou Pinzolo e Laghi di Cancano, o português de A-dos-Francos da Deceuninck Quick-Step terminou os 207 quilómetros em sétimo lugar, a 4m51s dos vencedores.

A etapa foi ganha por Jay Hindley (Team Sunweb) ao fim de 6:03.03 horas, seguido de Tao Geoghegan Hart (INEOS). É a primeira vitória numa Grande Volta para o australiano, que assumiu a liderança da classificação da juventude, que também era do português de 22 anos.

O espanhol Pello Bilbao (Bahrain-McLaren) foi terceiro e sobe a quarto na geral, que agora é liderada por Kelderman, quinto na etapa, com 12 segundos de vantagem para Hindley, seguindo Hart em terceiro, a 15.

Rúben Guerreiro garantiu vitória final na montanha

A etapa ficou ainda assinalada pelo bom desempenho de Rúben Guerreiro, que garantiu o triunfo final na montanha. O português da Education First beneficiou do abandono do italiano Giovani Visconti (Vini Zabù) e tem agora 112 pontos de vantagem sobre o belga Thomas de Gendt (Lotto Soudal), havendo um máximo de 98 para atribuir.

Na sexta-feira, a 19.ª de 21 etapas liga Morbegno a Asti, em 258 quilómetros de perfil plano, antes de nova tirada de alta montanha no sábado e o contrarrelógio final, no domingo, em Milão.

Mais Notícias