Flamengo de Jesus vence dérbi nos minutos finais

Um golo de Lincoln, de apenas 18 anos, permitiu ao Mengão vencer o Botafogo por 1-0 e manter a vantagem de oito pontos que tem na liderança do campeonato, em relação ao Palmeiras. O dérbi foi marcado pela dureza e Jorge Jesus queixou-se de "caça ao homem" por parte do adversário.

Foi sofrer até ao fim. O Flamengo de Jorge Jesus arrancou uma vitória complicadíssima, por 1-0, no dérbi com o Botafogo. Um resultado que permite ao treinador português continuar confortável na liderança do Brasileirão, com mais oito pontos que o Palmeiras, quando faltam sete jornadas para o final do campeonato.

O herói da partida foi o avançado Lincoln, de apenas 18 anos, que foi lançado na segunda parte aos 77 minutos e aos 89 bateu finalmente o guarda-redes Roberto Fernández, terminando com o sofrimento da torcida do Flamengo, que se deslocou ao Estádio Nilton Santos, conhecido como Engenhão do Rio de Janeiro.

Aquele que é um dos mais escaldantes dérbis cariocas foi bastante quente, com os jogadores do Botafogo, que estão na luta para não descerem de divisão, a utilizarem muita agressividade para travar os adversários. Na segunda parte, aconteceu o inevitável, com o extremo Luiz Fernando a ser expulso (55 minutos), deixando a equipa da casa numa situação mais complicada.

A equipa de Jorge Jesus tentou tudo para chegar ao golo que lhe permitisse conquistar os três pontos, o que acabou por acontecer já perto do final quando Bruno Henrique cruzou da esquerda para o jovem Lincoln aparecer no meio dos centrais do Botafogo para marcar.

O final da partida ficou marcado por uma grande confusão entre os jogadores das duas equipas, tendo inclusive Jorge Jesus se envolvido numa discussão o defesa Joel Carli, um dos mais duros durante toda a partida. Aliás, o treinador português, que durante a partida se queixou de os adversários só baterem nos seus jogadores, acabou mesmo por ver o cartão amarelo durante a partida, que o impedirá de estar no banco de suplentes no próximo jogo com o Bahia, marcado para domingo no Estádio Maracanã.

"Isto foi caça ao homem"

Na conferência de imprensa depois do jogo, Jorge Jesus acusou o Botafogo de ter sido uma equipa "super agressiva". "Nos primeiros 45 minutos mais parecia um jogo de râguebi, tantas eram as placagens. Ao intervalo disse aos meus jogadores que o Botafogo ia ter expulsões, era impossível que isso não acontecesse. Só não tinham de ter medo e não entrar nas provocações. E foi isso que aconteceu. O que se passou hoje foi fora do normal. Espero que sirva de exemplo porque isto não é futebol", assumiu o treinador português, acrescentando que o adversário "não foi uma equipa bem posicionada defensivamente, nada disso. Só quis bater nos jogadores do Flamengo. Isto foi caça ao homem".

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.