Felix Brych, o árbitro que Ronaldo e o Benfica não esquecem

O alemão mostrou o primeiro vermelho ao madeirense em 154 partidas de Champions. Mas o clube da Luz também não esquece a final da Liga Europa diante do Sevilha realizada em... Turim

Há um homem que está em foco no planeta futebol esta quinta-feira e não foi por ter marcado um golo, feito uma assistência ou defendido um remate impossível.

Felix Brych é o homem do momento. O árbitro alemão, licenciado em Direito, expulsou Ronaldo ao fim de 154 jogos na Liga dos Campeões, uma medida exagerada pelo que é dado ver, pois o português toca apenas na cabeça do central do Valencia, Jeison Murillo reclamando com um mergulho do colombiano. Valha a verdade que Brych foi chamado pelo árbitro de baliza e só depois mostrou o vermelho a Cristiano Ronaldo. Pareceu claro que não viu qualquer infração do capitão da seleção nacional.

Mas esta não é a primeira vez que Felix Brych se assume como o carrasco dos portugueses. Na final da Liga Europa 2013/14, o Benfica perdeu em Turim com o Sevilha no desempate por grandes penalidades tendo ficado por assinalar um castigo máximo, no tempo regulamentar, de Alberto Moreno sobre Lima. Ainda assim, a maior queixa do Benfica prendeu-se com o desempenho do guarda-redes do Sevilha, o português Beto, que na lotaria dos penáltis adiantava-se sempre para lá da linha de golo.

Em Itália, Brych também não é uma pessoa muito querida. Os italianos, nesta quinta-feira, recordam no encontro dos oitavos de final da edição passada da Liga dos Campeões uma expulsão forçada de Verratti na eliminatória entre o PSG e o Real Madrid.

Também na época passada a Roma perdeu com o Liverpool, em Inglaterra, em jogo das meias-finais da Liga dos Campeões. Os italianos perderam por 5-2 mas o 1-0 e o 3-0 dos ingleses foram apontados após falta e fora de jogo, respetivamente.

Também na final da Liga dos Campeões de 2017, entre Juventus e Real Madrid, o colombiano Cuadrado acabaria expulso, por uma falta duvidosa sobre Sérgio Ramos.

Nem no último Mundial, o alemão conseguiu escapar à controvérsia. No jogo da fase de grupos entre a Suíça e a Sérvia, que os helvéticos triunfaram por 2-1, a Sérvia, quando o maracdor assinalava 1-1, viu um penálti óbvio ser-lhe negado. Nem com o VAR alterou a decisão. Após o jogo a federação sérvia acusou o germânico de ser "parcial", sustentando a acusação com sete lances, nos quais, e segundo os sérvios, Felix Brych mostrou um critério dissciplinar incoerente.

A verdade é que a FIFA depois de analisar a queixa da Sérvia informou o árbitro de que podia voltar a casa pois não apitaria mais nenhum encontro do Mundial 2018.

Ainda assim, Brych continua a merecer a confiança da UEFA...

Mais Notícias