Benfica quer processos disciplinares a Pepe e Marega

Clube da Luz vai avançar com uma participação junto da Comissão de Instrução da Liga e pretende que sejam retirados os amarelos a Taarabt e Weigl. Dragões respondem à intenção do Benfica em requerer árbitros estrangeiros.

O Benfica vai avançar, ainda nesta segunda-feira, com uma participação junto do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol para a despenalização dos cartões amarelos mostrados pelo árbitro Artur Soares Dias aos jogadores Julian Weigl e Odysseas Vlachodimos durante o clássico no Dragão, no passado sábado, que terminou com o triunfo do FC Porto por 3-2

Para além disto, o clube da Luz "entende que Pepe e Marega, jogadores do FC Porto, agrediram deliberadamente o marroquino Adel Taarabt" e por isso vão avançar com pedido de abertura de processos disciplinares para ambos os jogadores portistas junto da comissão de Instrução da Liga.

Num comunicado emitido no domingo, onde pediam à Liga que os jogos envolvendo o Benfica e o FC Porto até ao final do campeonato fossem apitados por árbitros estrangeiros, o clube da Luz já fazia alusão aos lances de Marega e de Pepe no clássico de sábado, por entre críticas à atuação do árbitro Artur Soares Dias.

O Benfica defendeu que "logo aos quatro minutos" houve "uma clara agressão de Marega a Taarabt (com perda de dentes inclusive para o jogador), que terá passado "totalmente incólume, nem merecendo um amarelo".

Os encarnados falavam ainda de "uma imagem que exemplifica a total subserviência e um fechar de olhos inexplicáveis sobre o que estava à vista de todos". "A brutal agressão a soco de Pepe a Taarabt de frente para o árbitro, com este a ver, e que nem ele nem o VAR assinalam. Lance para clara expulsão".

O FC Porto, entretanto, emitiu nesta segunda-feira um comunicado onde contesta "as sucessivas tomadas de posição públicas do SL Benfica, reclamando, entre outras alarvidades, árbitros estrangeiros para o que resta do campeonato". Numa nota onde anunciam igualmente um denúncia-crime contra o diretor e o diretor-adjunto da revista "Sábado", os dragões não deixam o Benfica sem resposta:

"Como a memória nestes casos é sempre curta, recordamos que na época passada, após a derrota que lhes infligimos na meia-final da Taça da Liga, o presidente do SL Benfica declarou (ou proclamou) que o árbitro desse jogo não poderia continuar em funções.

É desta recordação que vive a atual novela, a qual, como é fácil ver, resulta no essencial da forma como o FC Porto venceu no sábado passado o SL Benfica com futebol e golos sem margem para qualquer dúvida, o que instalou na Direção do SL Benfica a dúvida sob a real capacidade do seu treinador e dos seus jogadores para o que resta do campeonato, sejam os árbitros nossos concidadãos ou estrangeiros."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG