Benfica entre os favoritos numa Liga Europa com cinco treinadores portugueses

A equipa de Jorge Jesus começa a prova com o Lech Poznan, no país onde se jogará a final de 26 de maio, e são uma das equipas favoritas à conquista do troféu. O Sp. Braga, de Carlos Carvalhal, recebe o AEK Atenas com os olhos no apuramento. Abel Ferreira (PAOK), Paulo Fonseca (Roma) e José Mourinho (Tottenham) completam a armada lusitana.

Benfica e Sporting de Braga iniciam esta quinta-feira a fase de grupos da Liga Europa, na qual vão procurar garantir os primeiros pontos para se começarem a posicionar tendo em conta o apuramento para os 16 avos-de-final. Além de águias e minhotos, treinados por Jorge Jesus e Carlos Carvalhal, respetivamente, a segunda prova de clubes da UEFA contará com três outras equipas treinadas por portugueses, são os casos de Abel Ferreira (PAOK Salónica), Paulo Fonseca (AS Roma) e José Mourinho (Tottenham), que é o único que já conquistou este troféu, nas duas vezes em que participou ao serviço de FC Porto e Manchester United.

Entre os cinco técnicos portugueses que vão iniciar esta competição, Jorge Jesus é aquele que mais jogos já disputou na Liga Europa, num total de 64 (excetuando pré-eliminatórias), sendo também o que maior número de vitórias alcançou: 36. É tendo em conta esse currículo que o treinador encarnado assume o desejo de levantar o troféu na final, marcada para Gdansk, na Polónia, precisamente o país onde irá iniciar a caminhada (17.55 horas) com o Lech Poznan. "Queremos chegar ao fim nesta Liga Europa, o que quer dizer que queremos ir à final em Gdansk, mas antes temos de ir passo a passo, começar bem, com uma vitória que nos ajude a passar a fase de grupos", disse Jorge Jesus.

O Benfica, que caiu na 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, irá agora tentar cumprir o sonho do presidente Luís Filipe Vieira de conquistar um troféu internacional. Foi para isso que foram investidos quase 100 milhões de euros em reforços e foi também contratado Jorge Jesus, treinador que levou o clube às duas últimas finais europeias, precisamente na Liga Europa, perdidas para Chelsea e Sevilha, em 2013 e 2014, respetivamente.

É por tudo isso que os encarnados são uma das equipas favoritas, a par de Tottenham, Roma, Nápoles, Arsenal e AC Milan, mas é preciso contar com o facto de nos 16 avos-de-final, no início de 2021, entrarem os terceiros classificados dos grupos da Champions, aumentando assim o lote de candidatos.

O primeiro adversário é o Lech Poznan, cujo treinador Dariusz Zuraw atribuiu por inteiro o favoritismo aos encarnados: "Conheço o Benfica muito bem. Acredito que é uma das melhores equipas da Europa e devia estar na Liga dos Campeões." Jesus reconhece esse favoritismo, sem rodeios. "Não me importo que digam que somos favoritos, é um reconhecimento de valor e não me cria mais pressão", assumiu o técnico português que irá tentar oferecer a primeira vitória em terras polacas aos encarnados, que empatou os dois jogos que ali disputou: em 1993 com o Katowice (1-1) e em 1996 com o Ruch Chorzow (0-0).

A partida, que será arbitrada pelo montenegrino Nikola Dabanovic, realiza-se à porta fechada no Estádio Poznan, uma vez que naquela região da Polónia têm aumentado o número de casos de infetados por covid-19.

Público regressa às bancadas em Braga

O Sporting de Braga recebe, às 20.00 horas, os gregos do AEK Atenas numa partida que assume uma grande importância tendo em conta que, de acordo com o treinador Carlos Carvalhal, o grupo G tem uma equipa "claramente de um patamar diferente, que é o Leicester", nesse sentido, vencer os jogos em casa surge como essencial, até porque "outros três que equivalem-se", reforçou o técnico, lembrando que "o Zorya já eliminou o Sp. Braga".

Os bracarenses reencontram o AEK Atenas, equipa com quem mediu forças na 1.ª eliminatória da Taça das Taças, em 1966, na qual venceu os dois jogos e seguiu em frente. Atualmente, a equipa grega é, de acordo com Carvalhal, "forte" e recorre aos tempos recentes para o justificar: "Nas provas europeias, o AEK não perde fora de casa desde 2011, não sofreu golos nos últimos dez jogos fora, desde setembro de 2017."

Nesse sentido, já definiu que o pensamento dos minhotos é "quebrar esse primeiro galho e ser a primeira equipa a marcar-lhes um golo e a ganhar". Um dos maiores trunfos para fazer golos é Paulinho, avançado que está a três golos de igualar os 12 do brasileiro Alan como melhor marcador de sempre do Sp. Braga nas provas da UEFA, mas que na antevisão à partida com o AEK deixou claro que a equipa "não pode criar ilusões ou metas sem ganhar dentro de campo".

Os bracarenses voltam a poder contar com um dos grandes reforços para esta época, o argentino Nico Gaitán, que devido a uma lesão ainda não se estreou em partidas oficiais. No entanto, Carlos Carvalhal lembra que o extremo "começou a sua pré-temporada na segunda-feira" da semana passada, altura em que retomou os treinos. "Não quer dizer que o Gaitán esteja no melhor nível, está apenas disponível como alguém que tem menos de uma semana de trabalho", avisou, não revelando se poderá ter alguns minutos na partida com os gregos.

O AEK Atenas, que conta no plantel com os portugueses Hélder Lopes, André Simões e Nélson Oliveira, chegou a esta fase de grupos depois de eliminar os suíços do Saint Gallen e os alemães do Wolfsburgo. No campeonato grego vem de uma derrota no campo do Atromitos e de um empate em casa com o PAOK Salónica, ocupando por isso o 5.º lugar da classificação.

Este Sp. Braga-AEK Atenas, que será arbitrado pelo francês Ruddy Buquet, fica marcado pelo regresso do público à Pedreira, embora com uma estreita vigilância de responsáveis da Direção-Geral da Saúde (DGS), que vão inspecionar se os adeptos bracarenses estarão com máscara e a cumprir as regras de distanciamento social, mesmo pertencendo ao mesmo agregado familiar, mantendo-se nos lugares que lhes forem atribuídos.

Certo é que apenas podem entrar no estádio sócios do Sp. Braga, num total de 4500 pessoas, que correspondem a 15% do total da lotação do recinto, conforme determinou a DGS.

Mourinho enfrenta carrasco do Sporting

Entre os jogos das equipas treinadas por portugueses, o Tottenham de José Mourinho vai receber o LASK Linz, equipa austríaca que eliminou o Sporting no play-off com um um triunfo por 4-1 em Alvalade.

Na antevisão a esta partida, o treinador português puxou dos galões. "É a terceira vez que participo na Liga Europa, nas outras duas com o FC Porto e o Manchester United vencemos. Por isso, o rendimento na Liga Europa é bom, nunca fui eliminado", frisou Mourinho, garantindo que a sua equipa é "muito entusiasmante para quem vê".

Este jogo pode marcar a estreia pelo Tottenham de Carlos Vinícius, melhor marcador da Liga portuguesa da época passada que se encontra emprestado pelo Benfica.

Já a Roma, de Paulo Fonseca, viaja até à Suíça para enfrentar o Young Boys, tendo já avisado que irá "fazer mais do que cinco ou seis mudanças" no seu onze habitual, pois considera que "é importante rodar a equipa nesta altura".

Finalmente, o PAOK Salónica de Abel Ferreira joga em casa com os cipriotas do Omonia Nicósia, uma partida para a qual é favorito.

Referência ainda para o duelo de Glasgow entre Celtic e AC Milan, clubes que já foram campeões europeus, sendo que os italianos afastaram o Rio Ave no play-off de acesso à fase de grupos, mas apenas no desempate por penáltis.

ÀS 17.55 HORAS
PAOK Salónica-Omonia Nicósia
Lech Poznan-BENFICA
Nápoles-AZ Alkmaar
Rijeka-Real Sociedad
Young Boys-AS Roma
Standard Liège-Rangers
PSV Eindhoven-Granada
Hapoel Beer Sheva-Slavia Praga
CSKA Sófia-Cluj
Dundalk-Molde
Rapid Viena-Arsenal
Bayer Leverkusen-Nice

ÀS 20.00 HORAS
Tottenham-LASK Linz
Ludogorets-Antuérpia
Dínamo Zagreb-Feyenoord
Hoffenheim-Estrela Vermelha
Villarreal-Sivasspor
Wolfsberger-CSKA Moscovo
Leicester-Zorya
Maccabi Telavive-Qarabag
Slovan Liberec-Gent
SP. BRAGA-AEK Atenas
Sparta Praga-Lille
Celtic-AC Milan

Mais Notícias