Balotelli arranja clube. Vai jogar no clube de Berlusconi na segunda divisão italiana

Avançado estava sem clube desde que o Brescia rescindiu contrato com ele no verão. Silvio Berlusconi é dono do clube e "está entusiasmado" com a contratação. Jogador aceitou condições salariais baixas e o empresário Mino Raiola nem cobrou comissão.

Mário Balotelli foi esta segunda-feira anunciado como reforço do AC Monza da segunda divisão italiana. O contrato é só até final da temporada, depois logo se vê. O avançado de 30 anos estava sem jogar desde que o Brescia rescindiu contrato com ele no final da época passada, depois de alguns comportamentos reprováveis do jogador.

"Dei-lhe muito na cabeça e disse-lhe que era realmente a última oportunidade dele. Gosto muito dele. É um jogador que, com as capacidades técnicas e físicas que tem, tem de fazer muito mais. Mostrou excelentes qualidades. Só tem 30 anos", disse Adriano Galliani.

O ex-diretor executivo do Milan e agora homem forte do Monza revelou ainda que Silvio Berlusconi "está entusiasmado" com a contratação, que o jogador aceitou condições salariais baixas e que o empresário Mino Raiola nem cobrou comissão na transferência.

O AC Monza é um mini-AC Milan que sonha chegar à série A. O clube da cidade localizada a cerca de 20 quilómetros a nordeste de Milão, mais conhecida por acolher os bólides da F1 do que as estrelas de futebol, ganhou nova vida e ambição quando em 2018 foi comprado por Silvio Berlusconi.

O antigo primeiro-ministro italiano (cumpriu três mandatos de 1994 a 2011) que foi dono do Milan e chegou a ganhar cinco Ligas dos Campeões e oito scudettos, entre 1986 e 2017, investiu no pequeno clube da série C do calcio com o objetivo de chegar à Série A e fazer história. Nunca o emblema da Lombardia esteve na primeira divisão italiana desde que foi formado em 1912 (108 anos).

Para já está no oitavo lugar da Série B italiana e conta com o português Dany Mota.

Mario Balotelli esteve "prestes" a chegar a acordo com o Génova em setembro, mas nem a intervenção do seu empresário (Mino Raiola) conseguiu um acordo para ele jogar no Calcio. A má fama persegue o internacional italiano, que há anos permite que as excentricidades fora de campo atrapalhem o talento desportivo.

Podia ser uma questão de personalidade, mas a forma de estar no futebol tornou-o problemático. Um risco para quem o contrata. Antes de o Génova aparecer interessado, o jogador chegou a negociar com o Calcio Como, um clube da Série C do Calcio (terceira divisão). Ninguém parecia acreditar que fosse para a terceira divisão, mas com tanta porta fechada as hipóteses eram cada vez menos. E agora, passados três meses, o italiano, que um dia venceu uma Liga dos Campeões com José Mourinho no Inter, aceitou relançar a carreira no AC Monza.

Abandonado pelos pais à nascença, num hospital de Palermo (Sicília), Mario tinha problemas de saúde sérios e só saiu de lá quando foi adotado pela família Balotelli. Uma família de acolhimento que se tornou a sua para a vida toda. Apesar da difícil infância, os pais deixaram-no jogar futebol.

Começou no AC Lumezzane com 11 anos e aos 15 já jogava pelos seniores na terceira divisão do campeonato italiano, despertando o interesse do Inter de Milão, onde chegou com 16 anos. Jogou ainda no Manchester City, no AC Milan, no Liverpool, no Nice e no Brescia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG