Segurança reforçada na AG de destituição deste sábado

A iniciativa foi da própria polícia, temendo incidentes devido ao clima conturbado e divisão entre adeptos. Assembleia Geral é este sábado, às 14.00, na Altice Arena

A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai reforçar a vigilância este sábado no Parque nas Nações, junto ao Altice Arena, local onde a partir das 14.00 se vai realizar a Assembleia Geral do Sporting que tem com um dos pontos a destituição do atual conselho diretivo presidido por Bruno de Carvalho.

De acordo com o que o DN apurou junto de fonte da PSP, o reforço da vigilância foi iniciativa da polícia, devido ao clima de turbulência e divisão entre os adeptos leoninos, e não a pedido da Mesa da Assembleia Geral dos leões. A PSP, contudo, não vai estar dentro da Altice Arena. Nessa área a vigilância estará a cargo de funcionários do Sporting e de uma empresa de segurança privada. Mas caso surjam incidentes (algum tipo de violência ou ameaças), a polícia poderá entrar no recinto se for chamada.

A AG deste sábado está rodeada de medidas de segurança mais apertadas do que é habitual neste tipo de situações, em virtude do clima de instabilidade que se vive no Sporting. O DN sabe que à entrada do pavilhão vão existir revistas e detetores de metais, e que a presença da polícia vai sentir-se logo de manhã nas zonas circundantes do Altice Arena.

Ainda segundo foi possível apurar, a unidade da PSP que controla as claques tem estado particularmente em alerta nos últimos dias aos movimentos de alguns elementos de grupos organizados do clube - alguns terão mesmo sido vigiados no sentido de se apurar se está a ser combinada alguma ação especial que possa ser considerada como potenciadora de desacatos.

A intenção da PSP é estar na posse do máximo de informação que reduza o risco de existirem desacatos, dentro ou fora do Altice Arena. As portas do recinto vão abrir ao meio-dia e o início dos trabalhos está previsto para as 14.00 horas. Além do cartão de sócio com as quotas em dias, os presentes terão ainda de apresentar um documento de identificação com fotografia. Vão estar dois únicos pontos em discussão: Análise da situação do clube e prestação de esclarecimentos aos sócios, nos termos do pedido do conselho diretivo de 16 de maio de 2018. E deliberar sobre a revogação coletiva, com justa causa, dos mandatos dos atuais elementos do conselho diretivo. A votação não será por voto eletrónico, pelo que o resultado irá demorar mais tempo a ser conhecido.

Mais Notícias