É hoje a AG. 20 mil sócios, centenas de polícias e acusações trocadas

Realiza-se hoje a assembleia geral que votará a destituição de Bruno de Carvalho. Este pede aos sócios, caso vença, para requererem a saída imediata de Jaime Marta Soares

Realiza-se hoje a partir das 14.00 a assembleia geral extraordinária (AGE), na qual são esperados 20 mil sócios, que porá à consideração a destituição do conselho diretivo liderado por Bruno de Carvalho.

Ao início da noite, Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG), disse que a reunião magna estava em risco, acusando Bruno de Carvalho de chantagem. "Neste momento, a realização da AG está em perigo por chantagem de Bruno de Carvalho. Ou o boletim é como ele quer ou não há funcionários. Ele está a fazer chantagem, ameaça retirar os funcionários se os boletins não forem à maneira dele", referiu Marta Soares à TVI, para depois garantir a realização da AGE em "segurança total".

Bruno de Carvalho, mais tarde, na RTP3, explicou qual era o problema com o boletim. "O conselho diretivo pediu que o boletim dissesse sim (significa a saída do CD) e não (significa a continuidade do CD). Marta Soares embirrou a com a palavra "significa"."

O presidente do Sporting, nesta entrevista, esticou a corda e garantiu que não basta que os sócios votem a favor da sua continuidade para que continue a trabalhar em Alvalade. "Se for votada a não destituição, se os sportinguistas não fizerem que Marta Soares e as comissões tirem as consequências políticas disso e desapareçam do Sporting, eu ganho a assembleia e volto a não pôr os pés no clube. E proíbo a entrada deles até que os sportinguistas decidam o que fazer com ele", referiu Bruno de Carvalho, pedindo "um requerimento" dos sócios, em plena assembleia, para que Jaime Marta Soares e as comissões de Artur Torres Pereira e Henrique Monteiro "desapareçam".

O presidente leonino atacou ainda os juízes por terem indeferido todas as providências que intentou. "Vou assumir que o Sporting está sob assalto e lamento que juízes vistam outras causas que não a causa da justiça." A finalizar, assegurou que, "se os sócios decidirem que ficamos nós, em questão de duas, três semanas recuperamos o que Marta Soares fez perder".

Pelo meio, depois de confirmar a sua ausência na assembleia, deixou um aviso: "Eu sei o que me estão a preparar, amanhã [hoje] vai valer tudo."

Polícias à paisana

Esta AGE está a motivar um forte dispositivo de segurança porque, ao que apurou o DN, a Mesa da Assembleia Geral (MAG) e a Polícia de Segurança Pública esperam mais de 20 mil sócios, o que poderá provocar um problema, pois a Altice Arena costuma albergar, no limite, as referidas 20 mil pessoas. Ainda assim, a organização espera que muitos sócios votem e saiam.

Ao que o DN conseguiu saber, estão destacados mais de duas centenas de agentes, entre os quais estarão, sensivelmente, cinco dezenas à paisana no interior do pavilhão - na última AG estiveram 20 para seis mil sócios -, isto para além da empresa de segurança da Altice Arena.

As autoridades temem a existência de desacatos e o envolvimento das claques no exterior. Inclusivamente, ontem circularam mensagens sobre possíveis ameaças físicas a Jaime Marta Soares que o Sporting reportou às autoridades e à empresa privada de segurança.

No exterior da Altice Arena estarão prontos, para o que der e vier, entre dez e 15 viaturas do Corpo de Intervenção.

Mais Notícias