Drama e revolta na Pedreira. Sp Braga repetiu o filme

FC Porto e Sp. Braga empataram esta noite na Pedreira (1-1), num jogo em que os portistas acabaram reduzidos a nove. Partida marcada por vermelhos a Luis Díaz e Uribe e lesão grave de David Carmo. Segunda mão das meias finais da Taça de Portugal joga-se no Dragão, a 3 de março, e vale um lugar na final.

Exatamente 72 horas depois de se defrontarem para o campeonato, o Sp. Braga e o FC Porto voltaram a encontrar-se em campo. Desta vez o jogo foi para a Taça de Portugal e terminou com o de domingo... empatado, com os nervos à flor da pele e os dragões reduzidos a nove jogadores. Como as meias finais são a duas mãos, ainda é preciso esperar até dia 3 de março para saber quem vai à final da prova rainha do futebol português.

Muito se tem falado da sobrecarga de jogos esta época para algumas equipas. Dragões e guerreiros estão há cinco semanas seguidos com três jogos por semana e por isso já era esperada alguma rotatividade. Relativamente à última partida com os guerreiros Sérgio Conceição efetuou duas trocas no onze inicial. Diogo Costa e Fábio Vieira entraram para os lugares de Marchesín e Jesús Corona (castigado). Já Carvalhal mudou três: entraram Nuno Sequeira, Lucas Piazón e Sporar e saíram Raul Silva, João Novais e Abel Ruiz.

A estratégia de ambos no início do jogo foi de alguma passividade. Jogo muito calmo e ritmo baixo na primeira parte com exceção de um remate de Sérgio Oliveira aos seis minutos e do golo de Taremi aos 9 minutos. O iraniano nem queria acreditar na oferta de Matheus e fez um golaço... sem guarda-redes na baliza. Foi o quinto golo do camisola 9 na Taça de Portugal, tendo marcado a todos os adversários (Sp. Braga, Gil Vicente, Nacional, Tondela e Fabril). Desde 1962 que nenhum jogador do FC Porto marcava nos cinco primeiros jogos da Taça de Portugal.

Os primeiros 45 minutos foram de algum domínio portista. Três oportunidades flagrantes de golo e mais um golo justificavam a vantagem ao intervalo. Mas não se pense que o jogo ofensivo dos minhotos não existia, apenas a bola não chegava à baliza de Diogo Costa - teve duas saídas em falso que em nada abona a seu favor. O cenário mudou no segundo tempo. Sporar teve oportunidades para empatar o jogo aos 49 minutos, mas falhou o alvo com Diogo Costa completamente batido.

Lesão arrepiante de David Carmo e expulsão de dragões

O jogo entrou depois numa fase mais feia, com mais duelos a meio campo e um desgaste físico evidente, que em nada beneficiou o espetáculo. Aos 66 minutos um misto de azar e injustiça, dependendo da cor dos olhos de quem vê. Luis Díaz entra com tudo na área minhota, David Carmo não lhe dá nem um centímetro... os jogadores acabam por cair no relvado e de imediato os jogadores pedem a entrada das equipas médicas.

Soube-se depois que o jovem central bracarense sofreu uma fratura bimaleolar do tornozelo, enfrentando uma paragem mínima de quatro meses. Uma lesão arrepiante que o obrigou a sair do relvado numa ambulância... empurrada pelos jogadores. Uma situação caricata face ao estado do relvado, que não tirou o dramatismo à situação - David Carmo não joga mais esta época e vai parar quatro meses, segundo o Sp. Braga.

É a segunda vez no espaço de uma semana que uma ambulância entra num relvado de futebol, depois de Nanu (FC Porto) acabar o jogo com o BSAD no hospital e com lesões na cabeça e nas costas.

Ainda David Carmo estava a ser assistido no relvado quando Luís Godinho recebeu indicação do VAR para análise de lance de possível vermelho a Luis Díaz. Foi ver as imagens e expulsou o colombiano do FC Porto. Nas imagens não dá para vislumbrar intenção de Díaz...

O jogo retomou depois de uma longa explicação do árbitro a Sérgio Conceição e ao banco portista sobre a expulsão. Com menos um em campo, os dragões entraram em modo de resistência, enquanto Fransérgio carregava cheio de intensão.

Pepe ainda tirou uma bola em cima da linha de golo. O capitão portista dava um claro sinal de entrega mas não evitou que o filme do passado domingo se voltasse a repetir. Reduzidos a nove depois da expulsão de Uribe - perdeu a cabeça e agrediu Esgaio - os dragões não impediram Fransérgio de fazer o empate aos 112 minutos.

O jogo terminou logo depois, com euforia do lado do Sp. Braga e revolta azul e branca.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG