Eliseu. A primeira fase final

Aos 31 anos estreia-se numa grande competição ao serviço da seleção. Com Fernando Santos tem sido presença assídua nas convocatórias

Eliseu estreou-se na seleção pelas mãos de Carlos Queiroz, num encontro particular com a Estónia, em junho de 2009, mas o agora lateral esquerdo desde o início desse ano que começou a chamar a atenção do então selecionador, muito fruto das suas prestações no Málaga. Acabou, contudo, por fazer apenas duas partidas, sempre de caráter particular, regressando às escolhas da turma das quinas apenas em 2011, então sob o comando de Paulo Bento. Com este técnico, no entanto, também só teve direito a realizar dois jogos, embora estes oficiais, concretamente de apuramento para o Mundial de 2014, onde acabou por não marcar presença.

A grande aposta em Eliseu começou logo após esse Campeonato do Mundo no Brasil e pelas mãos do agora selecionador Fernando Santos. Desde outubro de 2014 que tem sido presença assídua na turma das quinas, com um total de dez jogos e sempre a titular. A sua chamada aos 23 não surpreende assim ninguém, até devido à lesão de Fábio Coentrão, o seu até agora rival pelo lado esquerdo da defesa.

Fico contente por ser opção. Espero sacar algo de positivo. Não estava à espera de ser chamado, mas quando recebi a pré-convocatória fiquei com esperança.

Desde os primeiros anos de vida, nos Açores, que o futebol começou a fazer parte da sua vida. Gostava da escola, como o próprio sempre disse, mas era o futebol a sua grande paixão. A família sempre o apoiou nas suas decisões e aos 15 anos não lhe negaram a possibilidade de seguir sozinho para Lisboa, para representar então o Belenenses. É raro vê-lo sem um sorriso na cara, a boa disposição faz parte do seu dia-a-dia, mas quem o conhece refere também que o lateral esquerdo é bastante reservado e tímido, aproveitando todos os momentos fora do futebol para estar junto da família e dos amigos. Tinha o sonho de um dia poder representar o Benfica, algo que aconteceu há dois anos, e de jogar uma fase final com a seleção nacional. Aprecia a gastronomia portuguesa, mas o seu prato de eleição são as bifanas da sua mãe Inês. Como música escolhe o ritmo da Kizomba e os artistas Anselmo Ralph e Nélson Freitas.

É um sonho poder jogar no Benfica. Tinha prometido à minha mãe que um dia iria jogar aqui.

BI

Data de nascimento: 5/2/1985 (31 anos)

Naturalidade: Angra do Heroísmo, Açores

Altura: 1,75 m

Peso: 72 kg

Clubes de formação: Marítimo Angra Heroísmo e Belenenses

Clubes representados: Belenenses, Varzim, Belenenses, Málaga, Lazio, Saragoça, Málaga, Benfica

Títulos: Liga Portuguesa (2014/2015 e 2015/2016), Supertaça de Portugal (2014/2015) e Taça da Liga (2014/2015)

CARREIRA NA SELEÇÃO

Estreia: 10/06/2009, Estónia-Portugal (0-0)

Internacionalizações: 14

Golos: 1

FASE DE QUALIFICAÇÃO

Jogos: 5

Minutos: 450

Golos: 0

NÚMEROS

2 - Liga Portuguesa

1 - Supertaça de Portugal

1 - Taça da Liga

6 - Clubes representados enquanto sénior (Belenenses, Varzim, Málaga, Lazio, Saragoça e Benfica)

19 - Número da camisola no Benfica

3 - Total de troféus ao serviço de clubes

18 - Idade com que se estreou no futebol profissional

1 - Golos na seleção nacional A

14 - Internacionalizações A por Portugal

40 - Total de golos na carreira

412 - Total de jogos ao longo da carreira

800 000 - Salário anual no Benfica

410 000 - Total de entradas com pesquisa no Google

Mais Notícias

Outras Notícias GMG