Ogier lamenta infelicidade de Tänak, que estava a fazer pela vida

O francês Sébastien Ogier lamentou hoje a infelicidade do estónio e companheiro de equipa Ott Tänak, de quem herdou a liderança do Rali de Portugal, após a 12.ª especial.

O tetracampeão mundial e líder do campeonato, ao volante de um Ford Fiesta, lidera a 51.ª edição do Rali de Portugal, com 19,5 segundos sobre o belga Thierry Neuville e 25 sobre o espanhol Dani Sordo, ambos em Hyundai i20, depois de Tänak se ter despistado no 12.º troço cronometrado, em Amarante.

"Estou a sentir-me melhor do que na Argentina, com melhor andamento. Claro que quero ficar na frente, todos querem, mas esta diferença é boa. Foi pena o que aconteceu ao Tänak, mas ele vinha ao ataque. Faz parte do jogo! Não é o melhor para a equipa, mas ele continua na corrida aos pontos", explicou Ogier, no final da primeira secção do terceiro dia.

Tänak, quarto do Mundial e ainda à procura do primeiro triunfo, deu um toque na primeira passagem por Amarante e danificou a suspensão traseira, caindo da liderança para o quinto lugar, a 1.16,8 minutos do companheiro de equipa na M-Sport.

"Bati num morro e fiz alguns estragos. Claro que às vezes é difícil termos um piloto principal na equipa, porque temos de lutar por nós próprios, mas tudo bem. Estou contente por estar na luta, não numa posição tão boa como estava ou queria, mas estou na corrida", referiu Tänak.

A secção da tarde de hoje repete as provas especiais de classificação da manhã, com novas passagens por Vieira do Minho (22,47 km), Cabeceiras de Basto (22,3 km) e Amarante (37,55 km).

Mais Notícias