Mourinho fala da paixão pela AS Roma entre recados aos Einsteins do futebol

Treinador fez balanço de época em que conquistou a Liga Conferência e deixou elogios aos jogadores, destacando Rui Patrício.

A época acabou com a conquista da Liga Conferência e mais um lugar na história para José Mourinho e o balanço da época do treinador da AS Roma não podia ser mais romântica. "As memórias ficam para sempre e a história não pode ser apagada. Para mim estas foram emoções incríveis e inesquecíveis, mas preciso de pensar "o que vem a seguir"... Antes disso, preciso de abraçar toda a gente", começou por escrever o setubalense que na quarta-feira levantou o seu quinto troféu europeu.

"Preciso de dizer ao mundo a gratidão que tenho pelos meus JOGADORES: todos eles, desde o Rui [Patrício] que jogou 54 jogos até ao Pietro [Boer] que não jogou um único minuto. Mas nesta equipa todos jogaram cada minuto de cada jogo, é isso que os Einsteins do futebol não sabem, não compreendem e eu tenho pena deles. O futebol é o que se vê e o que não se vê, o futebol não é jogado por 11, é jogado por muitos mais, e nós éramos tantos... Jogadores, treinadores, staff médico, analistas, homens dos equipamentos, pessoas da cozinha, famílias, amigos, romanistas, mourinhistas, e eu estou muito grato a todos", continuou Mourinho, que antes tinha revelado um vídeo dos festejos, onde se vês o técnico a conduzir o autocarro no desfile pelas ruas da cidade Eterna.

O balanço terminou de forma enigmática: "Um dia deixarei Roma e a AS Roma, essa é a lei do futebol, mas mais do que uma ou mais taças gostaria de ver este clube para sempre unido por esta paixão e amor. Duas fotografias para vos abraçar a todos. Tenham um junho em grande."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG