Mourinho em lágrimas: "Não me vou dar ao trabalho de dedicar este título a quem está aziado"

Treinador português da AS Roma conquistou o quinto troféu europeu da carreira.

José Mourinho não conteve as lágrimas na flash interview após conquistar a Liga Conferência Europa com a AS Roma - venceu o Feyenoord (1-0). "Passam-me tantas coisas pela cabeça, mas este envolvimento emocional é porque elas são únicas. Quero que o nosso povo celebre esta alegria que permanecerá para sempre. Sinto-me um romanista mas também adoro o Inter, sou um Chelsista, sou louco pelo Real Madrid, adoro aqueles que sentem que são uma família. Mas, com todo o respeito pelos meus outros clubes, hoje sinto-me 100% romanista", começou por dizer à Sky Sports.

Vencer pelos giallorossi é especial. "Hoje, não era sobre trabalho, era sobre história. Ou escreves ou não escreves. E nós escrevemos. Vou ficar, sem dúvida, mesmo que haja rumores."

Igual a si mesmo, à Sport TV, o técnico falou de quem "lhe dá paulada" (sem especificar quem) e dedicou a conquista de mais um troféu a aqueles que o amam: "Obviamente, a minha família e os meus amigos, os romanistas e outros adeptos de outros clubes por onde passei que tiveram carinho por mim. Não me vou dar ao trabalho de dedicar este título a quem está aziado. Quem está, problema deles. Estou de velho demais para desejar coisas más a quem me deseja coisas más. Estou com os meus e agora vou de férias."

Questionado sobre se este é o primeiro de muitos troféus no clube romano, respondeu que "honestamente" não sabe e elogiou a estrutura, que conta com o diretor desportivo Tiago Pinto. "Tenho donos fantásticos pela honestidade. Tenho um director desportivo que não é, o Tiago, é companheiro de trabalho. Aqui não há mentiras, ninguém veio ao engano. Sabíamos o projeto desta época. Vamos ver o que é possível na segunda. Gostava de lutar pelo título, mas não acredito que seja possível. Tem de ser a pouco e pouco. Não podemos fazer contratações do outro Mundo. Podemos fazer contratações como a do Rui Patrício. Fez 54 jogos e num momento difícil do jogo deu-nos a vitória", elogiou Mourinho, referindo-se às duas defesas monstruosas do guardião que segurou o triunfo na final.

"[Um dos homens da noite?] Fomos todos. Foi um jogo difícil, visto que foi uma final e temos todos de saber sofrer. Foi uma final muito boa porque vencemos. O mais importante é vencer. Como não interessa. Passámos por momentos difíceis no jogo, em que tivemos que defender, mas conseguimos ganhar e isso é o mais importante", reagiu Rui Patrício, em declarações à SIC, depois de erguer o primeiro troféu ao serviço de um clube.

Já Sérgio Oliveira não escondeu a felicidade: "É um feito grande para este clube, que precisava de um título há muito tempo. É um sentimento especial, estes adeptos sempre estiveram connosco nos momentos mais difíceis." E quando lhe perguntaram se quer voltar ao FC Porto ou ficar em Roma respondeu só querer beber uma cerveja.

À Sport TV, Tiago Pinto disse que cresceu "a idolatrar José Mourinho", que para ele é o "número 1 do Mundo" e alguém fora de série a nível humano.
"É dificil descrever. Têm sido 15-16 meses muito difíceis. É a minha primeira experiência fora do país, num clube maravilhoso mas difícil de trabalhar. É um título importante mas acredito que será o primeiro de muitos", disse o português que deixou o Benfica em 2021 para se juntar à AS Roma.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG