Liga, Belenenses SAD e Benfica continuam o "jogo do empurra"

Critérios da delegada de Saúde questionados pelo organismo do futebol profissional. Jogo do Belenenses SAD com o Benfica terminou aos 48 minutos, por falta de jogadores da equipa azul devido a um surto de covid-19.

O jogo do empurra continua. A Liga Portugal revelou esta segunda-feira que os delegados ao jogo de Belenenses SAD e Benfica recusaram o adiamento da partida de sábado, da 12.ª jornada, dada por finalizada pelo árbitro aos 48 minutos. Algo que ambos os clubes negam.

"Imediatamente antes da reunião preparatória do jogo, o delegado da Liga Portugal questionou os delegados de jogo dos clubes sobre a possibilidade de adiamento, tendo sido afirmado por ambos que essa hipótese não se colocava", refere o comunicado emitido pelo organismo, que foi desmentido logo de seguida por ambos os clubes.

"O Relatório do Delegado é manipulado e atinge requintes de má-fé e de falsidade indignos da Liga Portugal, dos clubes associados da Liga e do futebol português", acusou a entidade liderada por Rui Pedro Soares, garantindo "reagir a este relatório mal fabricado com todos os nossos meios previstos na lei".

Também em comunicado, o Benfica garantiu que "não foi parte ativa na decisão de se ter realizado a partida, tendo sido obrigado a apresentar-se em campo sob pena de ser penalizado".

Depois da reunião de emergência, esta segunda-feira, para analisar os acontecimentos do Belenenses SAD-Benfica, a Liga Portugal questionou ainda a atuação das autoridades de saúde na gestão do surto de covid-19 no Belenenses SAD (13 casos da nova variante Ómicron), imiscuindo-se de responsabilidades na realização do jogo de sábado, da 12.ª jornada da I Liga, que começou com apenas nove jogadores do lado azul e que terminou aos 48 minutos com a equipa reduzida a seis jogadores e quando o Benfica já vencia por 7-0.

Segundo o comunicado do organismo que gere o campeonato nacional, foi decretado o isolamento profilático de 30 jogadores da B-SAD, dos quais 17 negativos, ficando apenas oito disponíveis, dois deles inaptos por motivos não relacionados com covid-19.

Neste cenário, o clube azul não tinha os sete elementos necessários para a realização do jogo. Depois, "pelas 19h17, a Delegada de Saúde retirou três jogadores do isolamento, passando a Belenenses SAD a ter nove jogadores disponíveis, facto apenas oficialmente conhecido quando a ficha de jogo foi divulgada".

Motivo que levou agora a Liga "a questionar o critério que levou a Delegada de Saúde a não considerar os nove jogadores disponíveis como contactos de alto risco, sendo que alguns deles tiveram, comprovadamente, contacto direto no jogo anterior com elementos positivos".

Para a entidade gerida por Pedro Proença, "fica claro que a Liga deu cumprimento a todas as normas regulamentares aplicáveis". O que não impediu que a imagem do futebol português tenha sido "colocada em causa". Por isso mesmo a direção da Liga decidiu "incumbir o Grupo de Trabalho Regulamentar de elaborar, com caráter de urgência, uma proposta de revisão das normas relevantes do Regulamento das Competições organizadas pela Liga Portugal (RC), de forma a reforçar os mecanismos à disposição da direção para atuar em matéria de adiamento de jogos".

O organismo reiterou ainda a urgência de reunião com as autoridades de saúde, nomeadamente a Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Juventude e Desporto e Direção-Geral da Saúde para análise da atual situação e antecipar eventuais mudanças nos protocolos".

Comunicado da Liga Portugal na íntegra:

"1 - Na sexta-feira, dia 26, pelas 18h23, a Diretora Executiva da Liga Portugal recebeu contacto do Presidente da Belenenses SAD a dar conta da existência de casos positivos e informando estar em contacto com as autoridades de saúde, que viriam a decretar, 53 minutos depois, através da Delegada de Saúde local, o isolamento de 10 casos positivos.

Informação posterior deu conta do isolamento profilático de 30 jogadores (dos quais 17 negativos) - neste cenário estariam oito jogadores disponíveis, dos quais dois estariam inaptos por motivos não relacionados com COVID-19, não tendo o clube os sete elementos mínimos necessários para a realização do jogo.

Mais tarde, pelas 12h10, o Presidente da Belenenses SAD, apesar de ter conhecimento do número de jogadores disponíveis (seis atletas), reforçou, em conferência de imprensa, a sua intenção de se apresentar a jogo e não solicitar o adiamento.

Pelas 19h17, a Delegada de Saúde retirou três jogadores do isolamento, passando a Belenenses SAD a ter nove jogadores disponíveis, facto apenas oficialmente conhecido quando a ficha de jogo foi divulgada.

Imediatamente antes da reunião preparatória do jogo, o Delegado da Liga Portugal questionou os Delegados de Jogo dos clubes sobre a possibilidade de adiamento, tendo sido afirmado por ambos que essa hipótese não se colocava;

2 - Perante este quadro factual e as dúvidas que suscita, a Direção Executiva da Liga Portugal deliberou avançar com uma participação disciplinar ao Conselho de Disciplina da FPF, para apuramento de eventuais responsabilidades quanto ao cumprimento dos protocolos sanitários aplicáveis;

3 - A Liga Portugal pediu, com caráter de urgência, uma reunião com a Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Juventude e Desporto e Direção-Geral da Saúde, para análise da atual situação e antecipar eventuais mudanças nos protocolos;

4 - Aceitando que a suspeita de existência da estirpe Ómicron no plantel da Belenenses SAD, agora confirmada através de análises preliminares efetuadas pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), poderia justificar a não aplicabilidade do protocolo em vigor para definição de contactos de alto risco em casos negativos, a Liga Portugal questiona qual o critério que levou a Delegada de Saúde a não considerar os nove jogadores disponíveis como contactos de alto risco, sendo que alguns deles tiveram, comprovadamente, contacto direto no jogo anterior com elementos positivos.

A Liga Portugal questiona, também, se, ao longo deste processo, todos os agentes desportivos presentes no estádio do Jamor não deveriam ter sido informados deste facto e dos riscos a si associados (previamente ao jogo) e pergunta às autoridades de saúde quais foram os critérios seguidos para serem libertados três jogadores a menos de uma hora do início do encontro;

Face ao exposto, fica claro que a Liga Portugal deu cumprimento a todas as normas regulamentares aplicáveis, não lhe cabendo intervir no âmbito de questões de saúde pública;

5 - Entendeu a Direção da Liga incumbir o Grupo de Trabalho Regulamentar de elaborar, com caráter de urgência, uma proposta de revisão das normas relevantes do Regulamento das Competições organizadas pela Liga Portugal (RC), de forma a reforçar os mecanismos à disposição da Direção para atuar em matéria de adiamento de jogos.

6 - A Liga Portugal reitera a urgência de reunião com as autoridades de saúde, aguardando a resposta ao pedido efetuado na manhã de domingo."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG