FC Porto vence na Madeira e mantém distância para o Sporting

Dragões chegaram à vitória já em tempo de compensação, por Otávio, na conversão de uma grande penalidade

O FC Porto venceu esta segunda-feira o Marítimo com um golo aos 90+3 minutos, na 20.ª jornada da I Liga de futebol, e o filho de Sérgio Conceição, Francisco, voltou a ser decisivo, tal como o guarda-redes Marchesín.

O momento capital da partida foi o minuto 66, quando o treinador do FC Porto decidiu lançar o seu filho, Francisco Conceição, e Otávio, a renderem Marega e Sérgio Oliveira, respetivamente.

Estes dois jogadores iriam estar na origem do sufoco que o FC Porto sujeitou o Marítimo nos últimos 20 minutos da partida e do golo que valeu os três pontos, já em período de compensação, com Francisco Conceição a sofrer a falta para penálti e Otávio a bater com 'sangue-frio' e competência.

De salientar que Medhi Taremi estava preparado para executar o penálti, inclusive chegou a ajeitar e colocar a bola na marca do castigo máximo, mas Sérgio Conceição deu ordem para que o mesmo fosse batido por Otávio, o que, visivelmente, desagradou ao avançado iraniano.

O Marítimo fez uma excelente exibição, em nada compatível com o último lugar que ocupa na tabela classificativa, com 17 pontos, e complicou ao máximo a vida ao FC Porto, que se adiantou no marcador logo aos 14 minutos, por Mateus Uribe, na sequência de um livre, com cruzamento de Sérgio Oliveira para a área insular, com o médio colombiano a finalizar após uma série de ressaltos na sequência de um remate do extremo mexicano Jesus Corona.

No entanto, o FC Porto nem chegou a beneficiar do 'sabor' dessa vantagem, visto que o Marítimo, quatro minutos depois, restabeleceu o empate, com Marega a pôr em jogo Léo Andrade, o autor do golo, que só foi sancionado após intervenção do vídeoárbitro (VAR).

Se é um facto que o FC Porto acabou por ser premiado pela pressão que exerceu nos últimos 20 minutos, em boa dose porque Otávio assumiu a 'batuta' e Francisco Conceição trouxe um fator de imprevisibilidade ao ataque portista, não é menos verdade que o Marítimo até podia ter vencido a partida.

O minuto 83 também foi determinante para o desfecho do jogo, quando o guarda-redes portista executou duas defesas absolutamente extraordinárias, a primeira ao fazer a 'mancha' a Alipour, que surgiu isolado à sua frente, e logo a seguir, na sequência do pontapé de canto, a fazer uma defesa 'à andebol', com a perna, a evitar a recarga vitoriosa de Léo Andrade a um primeiro cabeceamento ao poste do central moçambicano Zanaidine.

Com este triunfo 'arrancado a ferros', o FC Porto segue na perseguição ao Sporting com 44 pontos, a 10 dos 'leões', que 'visitam' justamente o Dragão na 21.ª jornada, no próximo sábado, podendo os 'azuis e brancos' reduzir essa desvantagem para sete pontos, em caso de vitória.

Em terceiro lugar segue o Sporting de Braga, com 43 pontos, à frente do Benfica, com 39, e do Paços de Ferreira, com 38.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG