'Doutor Mabuse' condenado a mais um ano de prisão por incentivo ao doping

Em 2014, o francês Bernardo Sainz foi condenado a dois anos de prisão e, em 2019, foi punido com mais um pela sua ação no ciclismo profissional da década de 1990 e nos primeiros anos do novo milénio.

O francês Bernard Sainz, conhecido como 'Doutor Mabuse', foi esta segunda-feira novamente condenado pela justiça do seu país, agora com um ano de prisão domiciliária por incentivo ao doping no desporto.

Aos 78 anos, Sainz, que se auto intitula como homeopata e que trabalhou sobretudo no ciclismo e corridas de cavalos, vai, assim, cumprir uma terceira pena da justiça gaulesa.

Em 2014, foi condenado a dois anos de prisão e, em 2019, foi punido com mais um pela sua ação no ciclismo profissional da década de 1990 e nos primeiros anos do novo milénio.

Bernard Sainz, que exerceu medicina ilegalmente, e que trabalhou vários anos com a equipa de ciclismo Mercier, está associado ao incentivo e ajuda ao uso de substâncias proibidas.

Entre os casos mais mediáticos está o do ciclista belga Frank Vandenbroucke, que morreu em 2009, aos 34 anos, vítima de uma embolia, e em cujo domicílio a polícia encontrou produtos dopantes.

O prevaricador francês também colaborava com o compatriota Fabien Taillefer, ciclista detido em 2011, juntamente com outros profissionais, pelo facto de em 2009 ter recorrido ao uso de corticoides e depois à EPO.

Doutor Mabuse alude a uma maquiavélica personagem popularizada pelo cineasta Fritz Lang, que comandava o submundo das apostas fazendo uso de seus poderes psíquicos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG