Diogo Costa. Baliza portista volta a ser portuguesa num clássico

Há 13 anos que um guarda-redes português não é titular pelo FC Porto frente ao Sporting. Diogo Costa é o mais jovem depois de Vítor Baía.

O jovem Diogo Costa será titular frente ao Sporting, no sábdo, na quinta jornada da I Liga e assim a baliza do FC Porto voltará a ser portuguesa num clássico para o campeonato... 13 anos depois. Desde o dia 5 de outubro de 2008, quando Nuno Espírito Santo assumiu a titularidade por força da lesão de Helton, que tal não acontecia.

Esses 90 minutos do agora treinador do Tottenham, nesse jogo em Alvalade, que os dragões venceram por 2-1, impedem que a previsível titularidade de Diogo Costa tenha um cariz ainda mais histórico... desde Vítor Baía , quando jogou o seu último clássico com os leões, em dezembro de 2005.

Desde essa altura, a baliza esteve entregue aos estrangeiros Helton (2005 a 2016), Casillas (2015 a 2020) e Marchesín (desde 2019).

Aliás, nas últimas 16 edições do campeonato, além dos 90 minutos de Nuno Espírito Santos em 2008, só Beto participou num clássico entre dragões e leões, quando entrou a substituir Helton aos 69 minutos numa partida realizada no Dragão na época 2010-11, que os portistas venceram por 3-2.

Esta não é, no entanto, a primeira vez que Diogo Costa enfrentará os leões. Em janeiro, foi titular no duelo da Taça da Liga, tendo sofrido dois golos de Jovane Cabral (2-0). Agora o jovem guarda-redes fará história em Alvalade também pela precocidade.

A dias de fazer 22 anos (nasceu em Rothrist, na Suíça, a 19/09/1999), pode tornar-se no sábado, no mais jovem guarda-redes do FC Porto a jogar um clássico nos últimos 25 anos. Desde 1989 que os dragões não tinham alguém tão jovem a assumir a titularidade na baliza. E Diogo Costa até já detém outro recorde de precocidade que era de Vítor Baía: o mais jovem a jogar uma final da Taça de Portugal, com 20 anos, 10 meses e 11 dias.

A titularidade frente ao Sporting parece certa, não só porque jogou nas primeiras quatro jornadas da I Liga 2021-22, mas também porque o argentino Augustin Marchesín continua a recuperar de uma cirurgia. "É uma grande responsabilidade jogar com o 99, dar seguimento a este número histórico. Fico muito orgulhoso pelo Vítor Baía me incentivar a usar o número. Ele disse-me que era o jogador mais indicado para jogar com o seu número", revelou há tempos o Diogo Costa, que parece destinado a seguir os passos da lenda portista, que agora é vice-presidente.

Convocado para a seleção nacional pela primeira vez há duas semanas, Diogo Costa, que ambiciona ser o sucessor de Rui Patrício (33 anos) na baliza nacional, acabou por não se estrear, o que levou o FC Porto a criticar o selecionador nacional, Fernando Santos, por o ter submetido a três desgastantes viagens em sete dias para não jogar um único minuto.

No FC Porto desde os 11 anos, Diogo Costa está em final de contrato. O agora titular da baliza portista mudou de empresário - trocou a Media Base Sport, de Pere Guardiola, pela Gestifute, de Jorge Mendes - e deve renovar em breve, prolongando a ligação aos portistas por mais três épocas (até 2025), mas isso não quer dizer que siga de dragão ao peito no próximo ano, tal a cobiça de que é alvo.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG