Benfica vence Tondela e é líder isolado da I Liga

Os tondelenses estiveram a vencer graças a um golo de Salvador Agra, mas Rafa Silva e Gilberto deram a volta ao marcador.

O Benfica isolou-se este domingo na liderança da I Liga, ao vencer por 2-1 na receção ao Tondela, em jogo da 4.ª jornada, somando mais dois pontos do que Sporting, FC Porto e Estoril.

Salvador Agra ainda surpreendeu a Luz com um golo aos 22 minutos, mas as alterações efetuadas por Jorge Jesus ao intervalo revelaram-se certeiras, pois Rafa e Gilberto saltaram do banco para construir o triunfo encarnado, aos 71 e 88 minutos, respetivamente.

À entrada para esta jornada, o Benfica partilhava a liderança com o Sporting, mas o empate dos campeões nacionais em Famalicão (1-1) permite às 'águias' subir sozinho ao topo da tabela, com 12 pontos, fruto de quatro vitórias em outros tantos jogos, enquanto o Tondela se encontra na 12.ª posição, com três pontos conquistados.

André Almeida, pela última vez titular em outubro de 2020, quando se lesionou com gravidade frente ao Rio Ave, Vertonghen, Meité, Everton, Gonçalo Ramos e Darwin, que se estreou na titularidade esta temporada, foram as novidades no 'onze' do Benfica, que desfez o esquema tático com três centrais que tem vindo a apresentar.

Na ressaca do 'nulo' em Eindhoven, que garantiu o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões, os 'encarnados' entraram com muita posse e junto da baliza contrária, como se previa, mas sem conseguir 'furar' a boa coesão defensiva visitante.

As dificuldades atacantes do Benfica foram propícias ao atrevimento do Tondela, que 'gelou' a Luz aos 22 minutos, após um fantástico passe de Undabarrena, a descobrir Salvador Agra nas costas de Grimaldo, batendo Vlachodimos com um remate cruzado.

Os beirões mostraram ter a lição muito bem estudada e, alcançada a vantagem, continuaram a fechar com mérito os caminhos da sua baliza, perante um Benfica sem ideias, a rondar a área e com Darwin a apostar em tentativas de longe, aos 33 e 35.

A exceção foi um disparo de João Mário, no interior da área, que obrigou Niasse a uma grande defesa, perto do descanso, altura em que Jorge Jesus operou uma tripla alteração, colocando Gilberto, Weigl e Rafa nos lugares de André Almeida, Meité e Pizzi.

O Benfica reentrou com afinco e criou logo uma grande oportunidade, aos 47 minutos: cruzamento de João Mário ao segundo poste, Darwin cabeceia para Lucas Veríssimo e este dá a Gilberto, que, num terceiro cabeceamento, na pequena área, atira por cima.

Determinados em virar o resultado, os jogadores do Benfica carregaram a equipa do Tondela, limitada à defesa, mas viram no guarda-redes Niasse um obstáculo difícil de transpor, a travar disparos de Gonçalo Ramos (55), João Mário (67) e Grimaldo (67).

Já com Rodrigo Pinho, a estrear-se oficialmente com a camisola 'encarnada', o Benfica conseguiu, depois de muita insistência, chegar à igualdade, aos 71 minutos, por Rafa, a encostar ao segundo poste, depois de um desvio de Weigl a um canto de João Mário.

O empate teve um efeito ainda mais galvanizador, tanto dentro, como fora de campo, sentido na forma como o conjunto de Jorge Jesus continuava à procura do segundo tento, conseguido aos 88, numa jogada iniciada e concluída por Gilberto, a aproveitar um corte defeituoso de Eduardo Quaresma para sentenciar a reviravolta no marcador.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG