Benfica incapaz de "matar" o jogo perde a liderança no Estoril

Loreintz Rosier fez o empate para os canarinhos aos 90", numa partida em que os encarnados estiveram maioritariamente por cima e em que pagaram caro as oportunidades desperdiçadas.

Cá de fazem, cá se pagam. O Benfica tinha ganho em Vizela no passado fim de semana com um golo no oitavo minuto de compensação. Desta feita, os comandados de Jorge Jesus experienciaram sensação oposta, ao deixarem-se empatar aos 90", num jogo em que não souberam dar a "estocada" final. O desmancha-prazeres foi Loreintz Rosier, primo de Valentin Rosier, antigo jogador do Sporting. Com este resultado, as águias perderam a liderança da I Liga.

A tarde com muita chuva na região de Lisboa fazia antever o pior, mas para sorte de jogadores e espectadores, a intempérie deu folga durante boa parte dos 90 minutos. O relvado também se portou muito bem e até o vento, que tantas vezes faz a sua aparição com grande intensidade no António Coimbra da Mota, desta vez não soprou de forma muito agreste.

Radonjic foi a grande novidade no onze inicial do Benfica, alinhando como ala direito, relegando Gilberto e Diogo Gonçalves para o banco. De resto, foram os outros dez do costume, com Darwin Núñez recuperado da gripe. Os encarnados não podiam desejar melhor começo, pois aos 2 minutos inauguraram o marcador, com Lucas Veríssimo a desviar de cabeça um pontapé de canto de João Mário. O central brasileiro já soma três golos no campeonato, isolando-se como o defesa mais goleador da prova até ao momento.

As águias não abrandaram no primeiro quarto de hora e continuaram em busca do segundo golo, colocando os estorilistas em dificuldade. De quando em vez, os contra-ataques rápidos da equipa da casa faziam algum frisson. Principalmente quando a bola chegava aos pés de Bruno Lourenço, extremo veloz e tecnicista que fez a formação no Benfica entre os 10 e os 18 anos, mas que na transição para sénior passou a representar o Desportivo das Aves e, posteriormente, o Estoril.

Depois de 15 minutos iniciais sempre a acelerar, os visitantes passaram a exibir um ritmo mais lento e os estorilistas conseguiam respirar melhor. Mais parecia um jogo amigável, quase sem faltas - a primeira do Benfica foi cometida aos 33 minutos e até esse momento o Estoril só tinha feito duas. E Rafa, que costuma ser o animador de serviço com as suas arrancadas, estava em noite mais comedida do que o habitual.

Contas feitas... foram zero lances de perigo para Vlachodimos em todo o primeiro tempo. Diga-se que também o Benfica, apesar de algumas aproximações junto da baliza de Daniel Figueira, também não criou uma única verdadeira oportunidade de golo até ao intervalo. Com exceção, evidentemente, do lance do golo.

Segunda parte bem melhor

Felizmente que o segundo tempo foi bem mais emotivo. Jorge Jesus fez uma substituição forçada no recomeço, com Gonçalo Ramos a render o lesionado Yaremchuk. Aos 50", o Benfica esteve muito perto do 0-2, mas Darwin Núñez falhou por um triz o desvio à boca da baliza, na sequência de cruzamento de Grimaldo. Logo a seguir, na resposta, Vlachodimos teve de se aplicar para evitar o golo de Lucas Áfrico, na marcação de um livre direto.

Jorge Jesus não quis perder tempo e aos 56" trocou Radojnic e Darwin Núñez por Diogo Gonçalves e Everton Cebolinha. Mesmo a ritmo moderado, o Benfica dominava os acontecimentos diante de um Estoril muito tímido, que por esta altura fazia lembrar a exibição modesta que protagonizou com o Sporting.

Lucas Veríssimo estava com vontade de voltar a faturar e aos 65" parecia um médio ofensivo, aparecendo na grande área a finalizar, com o remate a ser travado por Daniel Figueira. Era a melhor fase do Benfica na partida e o 0-2 esteve muito perto aos 67", num belo lance protagonizado por Gonçalo Ramos, tendo faltado apenas mais acerto ao jovem ponta de lança no último passe.

Por esta altura, o Estoril soltou-se finalmente e mostrou que estava vivo. Aos 69", Vlachodimos ia sendo traído por desvio de Vertonghen, mas conseguiu defender e a três minutos do fim Lucas Áfrico apareceu com perigo na área benfiquista, mas atirou ao lado.

O Benfica voltou a reassumir maior domínio, mas já se sabe que uma vantagem de apenas um golo é sempre perigosa e aos 90" o Estoril chegou ao empate, por Loreintz Rosier. É caso para dizer que este médio já ajudou mais o Sporting do que o seu primo, Valentin Rosier, que passou sem sucesso pelo Sporting em 2019/20. E que curiosamente regressa a Alvalade na próxima quarta-feira, para a Liga dos Campeões, ao serviço do Besiktas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG