Exclusivo "Porque diabo haveria uma questão judaica ou muçulmana entre nós?"

Ao regressar ao tema Lisboa, o historiador oferece ao leitor mais uma das particularidade das vivências ao longo dos tempos da capital portuguesa. Cidade sobre a qual já publicou Lisboa Nazi e agora Lisboa Judaica.

Em mais de duzentas páginas, o historiador Sérgio Luís de Carvalho retrata a presença judia em Portugal e, mais precisamente, em Lisboa. Uma história que é anterior à nacionalidade segundo os dados arqueológicos e que descreve até à Segunda Guerra Mundial. Para o autor de Lisboa Judaica, a partir do conflito mundial e até à atualidade essa "presença judaica deixa de ter o dramatismo e a intensidade que antes a caracterizava, o que é francamente positivo, pois é sinal de uma integração, de um modo geral, bem sucedida e normalizada".

Acrescenta que "os grandes traumas do passado, como a segregação, os pogroms, a Inquisição, o antissemitismo e a chegada de refugiados durante a II Guerra terão ficado para trás. Por certo houve recentemente casos esporádicos de vandalização de património judaico, nomeadamente do cemitério, tal como há poucos anos também se vandalizaram as portas da mesquita de Lisboa. Mas são atos isolados perpetrados por idiotas e que não refletem o pulsar social."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG