Morreu o escritor Carlos Ruiz Zafón. Tinha 55 anos

O autor de "A Sombra do Vento" morreu em Los Angeles. Lutava contra um cancro há dois anos.

Morreu o escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón. O autor de "A Sombra do Vento" perdeu a batalha que travava contra um cancro e faleceu, esta sexta-feira, na sua casa em Los Angeles. Tinha 55 anos.

Foi diagnosticado com a doença em 2018 depois de ter manifestado, em janeiro desse ano, os primeiros sintomas numa viagem a Londres.

"Hoje é um dia muito triste para toda a equipa da Planeta que o conheceu e trabalhou com ele durante vinte anos", lê-se num comunicado da Editorial Planeta, que destaca a amizade com o escritor que transcendeu o plano profissional.

"Vai permanecer muito vivo entre todos nós através dos seus livros", escreveu a Planeta, citada pela Antena 3.

É um dos melhores romancistas contemporâneos, sublinhou a editora, numa publicação na rede social Twitter.

Nascido em Barcelona, Carlos Ruiz Zafón é autor de vários best-sellers. "A Sombra do Vento", de 2001, é um deles. Com mais de 10 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, o livro está incluído no Plano Nacional de Leitura em Portugal.

"A Sombra do Vento" é o primeiro volume da série "O Cemitério dos Livros Esquecidos", ao qual se seguiram "O Jogo do Anjo", "O Prisioneiro do Céu" e "O Labirinto dos Espíritos".

Com "A Sombra do Vento", traduzido em mais de 40 línguas, Carlos Ruiz Zafón venceu em 2006 o prémio Correntes de Escritas/Casino da Póvoa de Varzim e, numa mensagem de agradecimento na altura àquele prémio literário, dizia que o romance era "uma pequena carta de amor à arte da narrativa, ao ofício de criar e contar histórias, uma homenagem a quem as constrói palavra a palavra".

O mesmo romance, que segundo a agência noticiosa Efe já vendeu dez milhões de exemplares, valeu ao escritor catalão outras distinções em Espanha e em França.

Zafón foi educado num Colégio Jesuíta, cursou jornalismo, trabalhou em agências de publicidade e editou o primeiro romance, "O príncipe da neblina", em 1993, tendo ganhado o Prémio juvenil Edebé.

O escritor vivia há mais de duas décadas em Los Angeles, Califórnia, onde escreveu romances e argumentos para cinema.

Em Portugal está publicada grande parte da obra do escritor catalão, incluindo ainda o romance "Marina" e os títulos "O Palácio da Meia-Noite" e "As Luzes de Setembro", também reunidos, juntamente com "O Príncipe da Neblina", na intitulada "Trilogia da Neblina", para leitores mais jovens.

Recorde a entrevista que o autor barcelonês deu ao DN em dezembro de 2016:

Atualizado às 14:30

Mais Notícias