Vamos ao Lux dançar pela noite fora?

Depois de uma visita virtual ao Museu dos Coches e de um espetáculo de Shakespeare no Globe Theatre, nada melhor do que soltar o corpo com a música oferecida pelos DJs do Lux: a pista é a nossa sala.

Uma visita virtual pelo Museu dos Coches

Mesmo com as portas fechadas, é possível continuar a visitar o Museu Nacional dos Coches através do site de "visita virtual 3D": aí, podemos passear pelo largos corredores e ir clicando nos vários coches e carruagens para termos acesso a mais informações sobre as peças ali expostas. Sem filas nem confusões. O museu tem várias viaturas de gala e de passeio dos séculos XVI a XIX, na sua maioria provenientes da Casa Real Portuguesa, a que se acrescentaram veículos vindos dos bens da Igreja e de coleções particulares, que nos permitem perceber a evolução dos transportes terrestres em Portugal até ao aparecimento do automóvel. Os menos audazes podem só explorar a coleção, peça a peça, no site do museu.

Shakespeare continua atual

Todo um mundo é um palco, escreveu William Shakespeare (1564-1616). A frase adequa-se bem aos dias que correm. Com os teatros fechados, resta-nos esse palco global que é a internet. O Globe Theatre, no Reino Unido, tem disponíveis no seu site algumas das peças de Shakeapre que por ali passaram nos últimos anos, incluindo Twelfth Night com Stephen Fry e Mark Rylance, uma versão de Coriolanus da famosa companhia de teatro japonesa Motoi Miura, uma produção interpretada só por mulheres de Hamlet e uma produção de Merchant of Venice, protagonizada por Jonathan Pryce. No total, são 74 as produções disponíveis. Infelizmente, o acesso não é gratuito. É preciso pagar por cada título 5,99 libras (6,5 euros) para vê-lo em streaming ou 11,99 libras (13 euros) para comprá-lo e vê-lo as vezes que quisermos - o que, vendo bem, é menos do que se tivéssemos de pagar um bilhete, não é? Existe algum conteúdo gratuito disponível no Globe Player, mas são só algumas cenas das peças ou pequenos vídeos documentais. Ainda assim, dá para matar saudades.

Dançar no Lux pela noite dentro

A discoteca Lux, em Lisboa, está encerrada, como todos os locais de divertimento noturno, mas nem por isso deixa de nos animar nesta quarentena, recorrendo ao seu site e às várias redes sociais. De segunda a quarta, o novo canal de YouTube do Lux terá playlists inéditas, criadas especialmente para a ocasião por alguns dos colaboradores e amigos da casa, numa rubrica que se chama From me to you. À quinta, como já acontecia antes, é a vez e ouvir o programa do Lux na rádio Super Bock Super Rock, Lux Frágil FM, às 23.00. Sexta-feira é dia de Play it Again - ou seja, tempo para ir buscar algumas das memórias do Lux, com gravações de noites inesquecíveis mas que até aqui não tinham sido partilhadas.

E, como de costume, sábado é a grande noite do Lux: a partir das 23.00, haverá uma dupla de DJs a dar-nos música em direto da pista de Santa Apolónia para nossa casa. A rubrica chama-se Fazes por aqui porque foi com essa expressão que surgiu a ideia logo no primeiro sábado de quarentena: se não dá para fazer ao vivo, fazemos por aqui. Mas a ideia é que haja bastante interatividade com quem está em casa. "O espaço está todo desinfetado e só vamos quatro pessoas, cumprindo todas as regras de segurança, para fazer a emissão", explica o programador Pedro Fradique. "As reações às primeiras transmissões foram extraordinárias." Este sábado, a música estará por conta dos DJ Rui Vargas e Nuno Rosa.

Domingo é dia de relaxar com os Sunday Specials, playlists dos DJs residentes do Lux.

Veja aqui mais sugestões culturais para a quarentena

Mais Notícias