De Chaplin a Marilyn: as estrelas de Hollywood a preto e branco

Exposição "Hollywood Icons: a fábrica das estrelas" abre na sexta-feira no Centro Português de Fotografia, no Porto.

Marlene Dietrich e Charlie Chaplin, Clark Gable e Joan Crawford, Marilyn Monroe e Marlon Brando. A história de Hollywood confunde-se com as histórias dos atores, as estrelas dos filmes. Desde muito cedo, os grandes estúdios perceberam a importância dos atores, muito para além da sua capacidade para representar: como ícones. Como ídolos arrastando consigo muitos espectadores e fãs (e, claro, muito dinheiro).

Os fotógrafos de estúdio, que trabalhavam discretamente nos bastidores, ficaram pouco conhecidos mas as suas fotografias, distribuídas aos milhares, sob a forma de postais e de cartazes, publicadas em jornais e revistas por esse mundo fora, foram fundamentais para a criação das estrelas do grande écran e para a promoção dos filmes e do estilo de Hollywood em todo o mundo.

A exposição Hollywood Icons: A Fábrica de Estrelas apresenta 161 retratos dos maiores nomes da história do cinema, registados por mais de 50 fotógrafos, entre os quais Clarence Sinclair Bull, Eugene Robert Richee, Robert Coburn, William Walling Jr, John Engstead, Elmer Fryer, Laszlo Willinger, A.L. "Whitey" Schafer, Ted Allan ou ainda Ruth Harriet Louise, a primeira mulher à frente do departamento de fotografia de um estúdio.

Além das fotografias, a preto e branco, através das quais podemos fazer uma história do chamado "período de ouro" de Hollywood (1925-1960), a exposição inclui também uma sala dedicada aos fotógrafos e ao processo de criação de estrelas, uma verdadeira "linha de montagem" para a fabricação de entretenimento, glamour e fama.

A exposição foi montada em 2016 pela Fundação John Kobal. Jornalista de formação, John Kobal (1940 - 1991) foi um dos mais respeitados historiadores de cinema, autor de mais de 30 livros sobre cinema e fotografia, incluindo The Art of the Great Hollywood Portrait Photographers e People Will Talk. Era também um grande colecionador. Nas décadas de 1970 e 1980, Kobal procurou trabalhar com os fotógrafos responsáveis pelas imagens na sua coleção, incentivando-os a fazer novas impressões a partir dos seus negativos originais com a intenção de, finalmente, lhes dar o reconhecimento que nunca tiveram pelo mérito artístico do seu trabalho.

Kobal criou a fundação em 1990, pouco antes de morrer, para para salvaguardar a sua impressionante coleção de fotografias, imagens de filmes e recordações de Hollywood. O seu arquivo é composto por cerca de 22 mil imagens a preto e branco, sobretudo retratos de estrelas, algumas fotografias de cena e outras produzidas com fins promocionais.

Exposição Hollywood Icons: Fábrica das Estrelas
Centro Português de Fotografia, Porto
De 6 de março até 7 de junho
Bilhetes: 6 euros

Mais Notícias