Cristina Ferreira com Goucha pela última vez. "Quis provar que era capaz, mas nunca te quis ganhar"

Prometeu voltar para a despedida e fê-lo nesta segunda-feira de manhã. Cristina Ferreira apresentou o programa ao lado de Manuel Luís Goucha e desvendou algumas novidades do futuro da estação que quer "ajudar a reconstruir". Pelo caminho foi explicando o que quer fazer na TVI.

Tinha-o prometido há uma semana e, nesta segunda-feira, Cristina Ferreira cumpriu. Num Você na TV! especial, deixou pistas sobre a televisão que quer fazer, com atenção aos detalhes, mas onde não há espaço para todos. Revelou por que decidiu deixar a SIC após dois anos, quebrando o contrato que a unia à estação, e também o que a fez abandonar a TVI em 2018, quando já tinha cumprido um dos seus objetivos: ser diretora. "Nunca quis o cargo, queria apresentar as minhas ideias."

"Tu és das pessoas que mais compreendem porque saí. A televisão tem de ser um brinco, os detalhes, e às vezes isso é descurado", começou por dizer. "Achei que já não estavam a valorizar isso, era preciso sair. Podia não ter ido, mas houve um convite", afirmou. Goucha lembrou que a apresentadora já tinha recebido "sondagens" para sair anteriormente. "Das outras vezes eu estava bem, desta não estava. Já fui para a primeira conversa a saber que me ia embora", admitiu.

Da mesma forma, garantiu, já sabia que queria sair da SIC quando recebeu o primeiro convite no início do ano. "Eu não negoceio", disse, frisando ao longo do programa que todas as pessoas podem romper contratos.

"Fui para uma estação que não era líder. E não há coincidências, por mais que queiram dizer o contrário - a SIC ganha o primeiro dia a 7 de janeiro", referiu a apresentadora, lembrando o dia em que estreou o Programa da Cristina. "O orgulho que me deu que um programa da manhã fizesse a diferença. Era o programa das velhas, lembram-se? Ganhámos todos os dias."

"Fui muito feliz na SIC, naquele programa, mas chegou a uma altura em que já estava feito, as minhas pessoas estavam aqui. Há duas ou três pessoas da SIC com quem falo, o meu lugar era aqui", disse, reiterando que é na TVI que pretende acabar a sua carreira na televisão como já tinha dito ao jornalista Pedro Pinto, em entrevista.

Foi ver a TVI a cair que a fez querer voltar, disse. "Eu cresci aqui, eu vivi aqui, custou-me muito ver esta casa a cair. Se eu conseguir ajudar, vou fazer de tudo para aconteça", prometeu a agora diretora de entretenimento e ficção e detentora de 2,5% da Media Capital, a empresa que detém a estação de televisão.

Goucha admitiu que "sabia que ia perder". "Durante quatro meses eu ouvi dizer que nós íamos ganhar, quis desvalorizar-se a saída. Eu sei muito bem a televisão que tu queres fazer, eu preparei-me para isso. Onde me senti um bocadinho perdido foi naquele mês de setembro. Bateu saudade - não vou ter mais a Cristina ao meu lado. Não sonhava que pudesse haver esta reviravolta ao fim de dois anos", explicou o apresentador. Assegurou só ter visto o programa de Cristina uma vez, enquanto na equipa várias pessoas viviam "obcecadas". "Temos de fazer o nosso caminho", contrapõe, acrescentando que, apesar de mal interpretado, agradecia a Cristina tê-lo posto à prova. "Eu já não estava habituado a perder."

Nesta conversa em que trocaram perguntas sobre os dois anos em que foram rivais e que, garantiram, não teve preparação, Cristina Ferreira garantiu que não queria ter ultrapassado Goucha. "Quando nós recebemos as audiências, claro que ficámos muito felizes. Depois começaram a surgir as capas de revista. Aquilo começou a incomodar-me muito, nunca quis ler, porque eu não quero competir contigo. Eu queria provar que era capaz, mas nunca te quis ganhar", disse. Os apresentadores mantiveram contacto enquanto estavam em estações de televisão concorrentes.

Despedida começou às 10.00

A dupla não quis perder um segundo de audiências. A despedida, que a apresentadora já tinha prometido, arrancou logo às 10.00, com um texto emotivo de Manuel Luís Goucha e imagens do seu percurso até ao estúdio do Você na TV!. "O meu coração está a bater mais forte", anunciou o apresentador, abrindo caminho para a antiga colega, agora sua diretora.

Ao longo das três horas do programa, em direto, revisitaram antigos momentos, convidaram Rita Pereira para participar num passatempo e outras "pessoas que fizeram parte da nossa caminhada". Quando chegou a hora de entrevistar o primeiro concorrente a ser expulso do Big Brother, já era como se nunca tivesse deixado o programa onde se estreou há 16 anos.

Goucha lembrou que chorou no dia em que soube que Cristina Ferreira ia para a SIC e foi o primeiro a telefonar-lhe quando a notícia do regresso à TVI foi conhecida. "Mas agora és minha patroa?", perguntou-lhe.

A TVI com Cristina ao comando

Ao longo do programa, Cristina Ferreira foi deixando migalhas sobre as mudanças que a TVI vai sofrer e que, segundo a própria diretora de entretenimento e ficção, serão mais visíveis "em janeiro". Para já, estreia-se na próxima quarta-feira O Dia de Cristina, um formato sobre o qual tem revelado pouco - nem hora, nem duração, nem conteúdo. Apenas um detalhe foi explicado. Será aí que Cristina Ferreira e Cláudio Ramos se vão reencontrar. "Tenho a certeza de que é um programa que marcará a TV portuguesa", disse.

Sobre Manuel Luís Goucha, a diretora de entretenimento deixou perceber que terá um programa diferente ao mesmo tempo que o programa de entrevista Conta-me, que divide com Fátima Lopes, receberá novas pessoas.

Sobre as decisões do futuro, garante que "não há lugar para todos, há pessoas que vão ter de ficar de fora, é difícil mas é preciso que a empresa cresça". E deu o caso do apresentador Carlos Ribeiro, que apresentou o Somos Portugal no verão, mas que não continuará, porque "não encaixa no Somos Portugal que quero fazer a partir de agora", justificou a nova diretora e acionista da TVI.

Mais Notícias