Cancelado concerto de Taylor Swift no NOS Alive. Festival pondera edição 2020

A cantora norte-americana Taylor Swift cancelou a digressão europeia, incluindo o concerto em julho no NOS Alive, Oeiras, anunciou a promotora do festival, que remete para maio qualquer decisão sobre o futuro do evento.

Em comunicado, a promotora Everything is New explica que Taylor Swift cancelou toda a digressão pela Europa, por causa da pandemia da doença covid-19, incluindo a passagem pelo festival Nos Alive a 09 de julho, no Passeio Marítimo de Algés.

O NOS Alive está marcado de 08 a 11 de julho e mantém-se de pé, com a promotora a explicar que só tomará uma decisão sobre o evento "após o levantamento do estado de emergência", que termina a 02 de maio.

"Estamos a trabalhar em todos os cenários, incluindo o adiamento de datas do festival, com o mesmo cartaz", referiu.

Taylor Swift era uma das cabeças de cartaz do festival, juntamente com nomes como Kendrick Lamar, Billie Eilish e The Strokes, aos quais se juntam nomes como Faith No More, Da Weasel e Caribou.

O Governo português prolongou o estado de emergência até 02 de maio, referindo a reabertura progressiva de alguns serviços, mas não revelou ainda medidas concretas sobre a realização de eventos de grande escala ou com grandes aglomerados de pessoas, como festivais de verão.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, morreram 657 pessoas das 19.022 registadas como infetadas, de acordo com os números hoje divulgados pela Direção Geral da Saúde.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (33 mil) e mais casos de infeção confirmados (671 mil).

Em Portugal, o decreto presidencial que prolonga até 02 de maio o estado de emergência iniciado em 19 de março, prevê a possibilidade de uma "abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais".

Mais Notícias