Vacina da Johnson & Johnson aprovada nos EUA

Os Estados Unidos deram a aprovação final à vacina de dose única da Johnson & Johnson. Na UE a luz verde deve acontecer no dia 11, mas há atrasos na produção.

Os Estados Unidos deram a aprovação final à vacina de dose única da Johnson & Johnson (J&J) após o painel consultivo da Agência de Medicamentos e Alimentos dos Estados Unidos (FDA) ter dado luz verde na sexta-feira. A empresa disse que irá fornecer de imediato o país com 4 milhões de doses, um número substancialmente mais baixo do que o previsto (10 milhões).

A vacina da J&J irá juntar-se às da Pfizer/BioNTech e Moderna, com duas grandes diferenças: é uma vacina de dose única, o que permite acelerar o ritmo da imunização contra a pandemia, e pode ser guardada num frigorífico, enquanto as outras exigem acondicionamento especial, a -70°C .

A FDA afirma que é segura e eficaz contra o vírus SARS-CoV-2 entre os maiores de 18 anos, uma vez que os testes demonstraram uma eficácia de 66% para casos leves a moderados e de 85% para defender de doenças graves.

No entanto, a resposta durante os ensaios clínicos variou dependendo do país: nos EUA registou 72% de eficácia, na América Latina 66% e na África do Sul, a braços com uma variante mais resistente e contagiosa do vírus, 64%.

A vacina deverá receber luz verde da Agência Europeia de Medicamentos no dia 11 de março, segundo a Bloomberg, e estará disponível a partir de abril. A sua aprovação de emergência faz parte do plano da Comissão Europeia para acelerar a compra de vacinas, depois dos desentendimentos com a AstraZeneca e as dificuldades de abastecimento da Pfizer e da Moderna.

No entanto, segundo o La Vanguardia, a farmacêutica terá esclarecido que as 200 milhões de doses que a UE espera não serão entregues no segundo trimestre, mas durante o ano.

Segundo o Financial Times, a fábrica que produz as vacinas nos Estados Unidos, situada na Nova Jérsia, depara-se com problemas para cumprir as encomendas. Nos Países Baixos houve uma transferência de tecnologia para uma fábrica maior, enquanto se aguarda que a francesa Sanofi comece a produzir a vacina da concorrente.

Em Espanha, segundo o El País, a companhia Reig Jofre também irá produzir a vacina da J&J. Segundo a empresa catalã, a unidade tem capacidade para fabricar 250 milhões de doses por ano.

Duas outras vacinas, uma desenvolvida pela alemã Bayer (CureVac) e outra pela norte-americana Novavax, aguardam também a aprovação da Agência Europeia de Medicamentos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG