Toalha húmida ao ombro para não chorar ao cortar cebola

Coisas complexas explicadas no livro "Como se transforma ar em pão. Estas e outras questões que só a química sabe responder", de Nuno Maulide

Toalha húmida ao ombro para não chorar
A cebola contém duas substâncias químicas: a isoalhina (aminoácido sulfurado) e a alhinase (enzima). Quando a cortamos, o aminoácido separa-se gerando um gás irritante (S-óxido de propantial), que é atraído por superfícies húmidas. Os olhos são a humidade que primeiro encontram, desencadeando as lágrimas. Uma forma de o evitar é colocar uma toalha húmida ao ombro. Meter a língua de fora também dá, desde que a pessoa não se importe de ficar com um terrível sabor na boca.

Como se transforma ar em pão?
É o título do livro de Nuno Maulide e tem que ver com a descoberta da síntese de amoníaco a partir de azoto (o componente maioritário do ar que respiramos). É responsável por "grande parte da alimentação da população mundial" e utilizado na agricultura como fertilizante. A invenção é de Haber e Bosch, pela qual o primeiro recebeu o Nobel da Química em 1918. O amoníaco é também a prova de que não há "químicos bons ou químicos maus", a máxima do cientista. Depende de como são usados, já que o amoníaco também pode ser utilizado no fabrico de explosivos.

As maçãs são má companhia
Quando as maçãs, as bananas e as cerejas ficam maduras libertam etileno. É um gás que atua como mensageiro químico do próprio fruto mas também pode influenciar outros com os quais partilha o espaço. Só que as maçãs libertam uma dose relativamente alta de etileno. Quando armazenadas com outros frutos faz que estes amadureçam mais depressa. Não se deve misturar as maçãs com outros frutos, não só se mantêm frescas como não "estragam" os outros.

A responsável pelos caracóis é a cisteína
A maior ou menor quantidade do aminoácido cisteína no cabelo é que dita se é liso ou tem caracóis. Resulta da combinação de dois átomos: enxofre e hidrogénio. Quando duas moléculas de cisteína estão próximas, os átomos de hidrogénio desprendem-se e os de enxofre ligam-se, encaracolando o cabelo. Um alisador a 80º C consegue separar os enxofres e alisar, mas é sol de pouca dura. Só os alisantes químicos conseguem um efeito prolongado.

Gin tónico para travar a malária no século XIX
A quinina é uma molécula que está na casca da árvore cinchona. E logo em 1638 se pensou que um chá desta casca tratava a malária. Mas só no início do século XIX se descobriu a quinina, que passou a ser administrada aos soldados britânicos na Índia como prevenção da malária. Era diluída em água tónica. O sabor amargo não era apreciado e os soldados precisavam de tomar grandes doses. Tentaram o açúcar, mas não resultou. Acabaram por misturar água tónica com o gin, um êxito até hoje.

Café descafeinado, mais um acaso
Muitas descobertas são fruto do acaso, o café descafeinado é uma delas, tendo sido patenteada por Karl Ziegler (Nobel da Química em 1963). Havia descafeinado mas tinha um sabor horrível, os grãos eram tratados com benzeno. Ziegler fez várias descobertas, a principal são os polímeros também por acaso. Investigou
o dióxido de carbono e a sua capacidade de extrair matérias das misturas. Em 1967, pensou em ousar para extrair a cafeína do café. O método mantém-se. A cafeína é retirada a 100 mil toneladas de café por ano.

"Muita merda" para desejar sorte no teatro

"Muita merda" é uma expressão importada de França e que os atores usam para desejar sorte. Remonta ao século XIX quando as pessoas utilizavam os cavalos para se deslocarem. Muitas fezes dos equídeos nas imediações do teatro era sinal de sucesso, estava cheio. E isto era um problema. Em Londres, em 1894, circulavam 50 mil cavalos diariamente, estimando-se que em 50 anos a cidade estaria atolada. Foi tema no primeiro congresso internacional de urbanistas, em 1889, em Nova Iorque. Ficou resolvido com o aparecimento dos automóveis. Para Nuno Maulide é "o paradigma de como desafios aparentemente insolúveis se podem resolver por si próprios quando se dá um avanço tecnológico revolucionário". Acredita que o mesmo poderá acontecer com as alterações climáticas devido ao mau comportamento humano.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG