Exclusivo Marie Tharp, a geóloga que mergulhou a cartografia no fundo dos oceanos

Estudou Inglês, Geologia, Matemática, antes de ingressar no projeto na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, que representou visualmente territórios inexplorados. Na década de 1950, Marie Tharp ofereceu ao Mundo um novo olhar sobre os fundos oceânicos e revelou as extensas cordilheiras que estes ocultam.

Eleva-se 2351 metros acima do nível do mar, soberana em todo o Atlântico adjacente. Para encontrar gigante que ombreie com a Montanha do Pico, no arquipélago dos Açores, há que viajar mais de 1400 Km para sueste, rumo ao Roque de los Muchachos, pico com 2426 metros, no arquipélago das Canárias. Abaixo da superfície, sob as águas do Atlântico Norte, a Montanha do Pico não é, contudo, monólito solitário. A queda abrupta de cinco mil metros rumo ao abismo, tem raízes na cordilheira subaquática que se estende por mais de 11 mil Km. São poucos os locais onde a dorsal mesoatlântica se revela. A altura média dos picos da cumeada, entre os dois e três mil metros, queda-se abaixo das ondas. A Islândia, a Ilha de Ascensão e Tristão da Cunha, juntam-se aos Açores no rol de territórios que revelam a atividade subaquática conturbada da dorsal. No seio da cadeia de montanhas submersas, o rifte, sulco central, liberta continuamente lavas, construtoras da crusta oceânica.

Não obstante o seu gigantismo, as dorsais oceânicas (o sistema global de dorsais estende-se por 64 mil Km), mantiveram-se desconhecidas até à década de 1950. Como também o era a generalidade dos fundos oceânicos. Coube à dupla de geólogos norte-americanos, Bruce Heezen e Marie Tharp, revelar ao mundo um território que, então, se apresentava menos mapeado do que a Lua. Marie, em particular, tratou de tornar em objeto visual o fundo do Oceano Atlântico, obreira do seu primeiro mapa científico. Tarefa meticulosa que careceu tanto de conhecimento científico como de labor de artesã, na minúcia de reproduzir à escala, com tinta-da-china e aguarela uma área com mais de cem milhões de quilómetros quadrados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG