São finalmente conhecidos os prémios AICA de 2015 e 2016

Jorge Queiroz e Daniel Blaufuks, nas artes visuais, SAMI e Atelier de Santos, na arquitetura, são os vencedores dos últimos dois anos.

Os artistas Jorge Queiroz e Daniel Blaufuks, o atelier Sami e o Atelier de Santos foram os vencedores dos Prémios AICA de Artes Visuais e Arquitetura relativos a 2015 e 2016.

Depois de, em 2014, os prémios da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) terem sido entregues à artista Ana Jotta e ao arquiteto José Neves, só agora se ficaram a conhecer os premiados dos últimos dois anos.

O Prémio Artes Plásticas 2015 foi atribuído a Jorge Queiroz pela exposição O Caso realizada no Pavilhão Branco do Museu da Cidade, em Lisboa. Na exposição inaugurada a 28 de março de 2015 o artista, nascido em 1966 e que se dedicou bastante ao desenho, mostrou os seus trabalhos mais recentes, exclusivamente de pintura.

O Prémio Artes Plásticas 2016 foi atribuído ao fotógrafo Daniel Blaufuks pelas exposições Léxico, realizada na Bienal de Vila Franca de Xira (em outubro passado), e Tentativa de Esgotamento, realizada na Galeria Vera Cortês, em Lisboa (em dezembro do ano passado).

O Prémio de Arquitectura 2015 foi atribuído a SAMI (Miguel Vieira e Inês Vieira da Silva), pela obra Casa E/C, em São Miguel Arcanjo, São Roque do Pico, Ilha do Pico. Trata-se de uma casa de férias na ilha, que parte de uma ruína existente no local. "A casa, moldada no interior das paredes de pedra, foi desenhada com vãos generosos, para entrada de luz e para usufruto da deslumbrante paisagem, que se alinham e por vezes desacertam dos vãos pré-existentes da ruína, recriando enquadramentos e relações com o limite original da casa", descreve-se no site do atelier criado em 2005. A casa também já tinha estado nomeada para o European Union Prize for Contemporary Architecture - Mies van der Rohe Award 2015.

O Prémio de Arquitectura 2016 foi atribuído a Célia Gomes e Pedro Machado Costa pela obra Escola Secundária Luís de Freitas Branco, em Paço de Arcos. Entre outros prémios, o projeto do Atelier de Santos também tinha estado nomeado ao prémio Mies Van Der Rohe 2016.

Os vencedores foram revelados, no Facebook, pela presidente do júri, Margarida Medeiros, e por outro dos elementos do júri, Victor dos Reis. Do júri fizeram ainda parte André Tavares, Manuel Costa Cabral e Inês Lobo. As decisões foram tomadas por unanimidade. Não foi possível obter mais informações sobre esta edição dos prémios que, até aqui, eram atribuídos em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura e o Milennium BCP e que na última edição tiveram um valor de dez mil euros para cada modalidade.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG