Roedelius, um pioneiro da música eletrónica

Fundador dos Cluster e Harmonia atua hoje em Lisboa, ao lado dos músicos portugueses André Gonçalves, Rui Dias e José Alberto Gomes

Poucos serão os músicos ainda no ativo que tenham tido um papel tão influente na história da música eletrónica quanto Roedelius. Como fundador dos Cluster e Harmonia foi um elemento crucial para a evolução da música de vanguarda alemã da década de 1970 e ao longo das quatro décadas que se seguiram manteve sempre o espírito vanguardista e desafiante, em explorações musicais que vão além do período krautrock a que está associado. Hoje atua no Teatro Maria Matos, em Lisboa, numa ocasião especial, fazendo-se acompanhar de um grupo de músicos portugueses, nomeadamente André Gonçalves, Rui Dias e José Alberto Gomes. O espetáculo conta ainda com o trabalho visual de Maria Mónica.

O ideal que hoje Hans Joaquim Roedelius persegue continua o mesmo daquele que o movia quando em 1970 formou os Kluster (que um ano depois mudariam o nome para Cluster). "Ando na estrada há 45 anos com o objetivo de criar algo a partir do nada, seja a solo ou com outros artistas, porque, acima de tudo, sou um curioso. Daí que seja um grande desafio na minha carreira tentar criar algo relevante com o Rui, o André e o José", diz o próprio ao DN.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG