O espaço e o tempo da guerra

O MURO, Doug Liman

Liberto das exigências de "aceleração" a qualquer preço que comandavam os seus filmes da saga "Jason Bourne", Doug Liman assina, aqui, um objeto bem diferente, incomparavelmente mais rico e fascinante. Estamos perante uma intriga minimalista: dois soldados americanos que, numa missão algures no deserto iraquiano, são visados por um implacável sniper...

Com um admirável tratamento do espaço e uma subtil gestão do tempo, Liman consegue encenar o nó mais perturbante da guerra, aí onde a estranheza absoluta do inimigo se diz também através de uma perturbante proximidade. Num filme de sólido elenco minimalista, fica um destaque muito particular para o brilhante Aaron Taylor-Johnson (vimo-lo, recentemente, em Animais Noturnos, de Tom Ford), confirmando as suas invulgares qualidades de interpretação.

Classificação:**** muito bom

Mais Notícias